Desenvolvimento Social
Reforço à assistência social em Altamira
Desenvolvimento Social
Postado em 29.08.2014
Seminário realizado em Altamira discutiu os desafios do Sistema Único de Assistência Social na região Norte (Credito: Norte Energia)

Seminário realizado em Altamira discutiu os desafios do Sistema Único de Assistência Social na região Norte (Credito: Norte Energia)

O apoio à estruturação e ampliação da oferta de serviços de assistência social realizado pela Norte Energia em Altamira é uma ação inovadora no Brasil. A conclusão é do doutor em Ciência Política Edval Bernardino Campos, que esteve esta semana em Altamira para participar do seminário “O SUAS (Sistema Único de Assistência Social) na Região Norte: Desafios e Potencialidades”. O encontro foi realizado pela Secretaria Municipal de Trabalho e Promoção Social (Semuts), em parceria com a Norte Energia.

“Aqui existe uma ação mais organizada, mais preparada. Em comparação com experiências anteriores, há um cuidado maior tanto com as questões ambientais como com as questões sociais”, explica Edval Bernardino. Ele lembra que obras de grande porte, como a da Usina Hidrelétrica Belo Monte, geralmente resultam em demanda por serviços maior do que o município comporta. “Se o empreendimento se organiza preventivamente junto com os gestores da mesorregião, os impactos são muito menores. E isso, para uma população que vivia sem saneamento, água e coleta de lixo é um marco muito importante”, compara.

 

Professor Edval Bernardino: "Aqui existe uma ação mais organizada" (Crédito: Norte Energia)

Professor Edval Bernardino: “Aqui existe uma ação mais organizada” (Crédito: Norte Energia)

O Seminário teve como objetivos esclarecer dúvidas e apresentar informações sobre o SUAS no município. A secretária de Promoção Social da Prefeitura de Altamira, Rute Barros, definiu o encontro como “a ocasião perfeita para conhecer melhor o SUAS e políticas adequadas à nossa região”.

Como parte do Plano de Atendimento à População Atingida, do Projeto Básico Ambiental (PBA) da UHE Belo Monte, a Norte Energia apoia atividades de assistência social por meio de convênios com as prefeituras de Altamira e Vitória do Xingu. A Empresa ajudou a estruturar os Núcleos de Atendimento Social e Psicológico às Comunidades Interferidas e ao Migrante em Altamira e na comunidade de Belo Monte, que conta com um Ponto de Apoio em Vitória do Xingu. Cada núcleo possui central de triagem, atendimento social, área de convivência, atendimento e acolhimento do migrante, por meio do qual é oferecida hospedagem, kit básico de higiene, alimentação e passagem de retorno ao local de origem.

Desde junho de 2012, as equipes de profissionais dos Núcleos realizaram mais de 3 mil atendimentos, com 1.397 pessoas atendidas e 1.621 encaminhamentos à rede pública. A Norte Energia também capacita servidores municipais para realizar os serviços e custeia as despesas para o funcionamento dos Núcleos. O atendimento nos núcleos é diário e em regime de plantão aos domingos e feriados. “A parceria com as prefeituras municipais complementa as ações às famílias que necessitam de apoio. É fundamental que elas tenham orientação e o atendimento necessário”, afirma Maria Conceição Pessoa, coordenadora de Projetos Sociais da Norte Energia.

Leia também: Cadastro Único nos novos bairros de Altamira

Capacitação e integração no Jatobá

Consciência ambiental e solidariedade no Jatobá

Educação ambiental no novo bairro São Joaquim

Norte Energia reforça estrutura de atendimento psicossocial em Altamira

Norte Energia entrega Núcleo de Atendimento Psicossocial em Belo Monte

 

  • A chegada ao Jatobá representa mais do que uma mudança de endereço para as famílias que viviam em regiões de Altamira historicamente alagadas pelo Xingu. O padrão de construção das casas e a infraestrutura completa do bairro significam melhor qualidade de vida. E esta é uma conquista que deve ser cuidada e valorizada. E é isso que os moradores do bairro construído pela Norte Energia estão fazendo. No sábado, literalmente, arregaçaram as mangas e se dedicaram a uma atividade coletiva, o Primeiro Mutirão de Limpeza do Jatobá. Os próprios moradores organizaram a atividade. “A gente deve manter o nosso bairro limpo”, ensinava a dona de casa Sonia Maria Rodrigues Fonseca, 53 anos, mostrando disposição de fazer inveja aos mais jovens. Há cinco meses no Jatobá, ela lembrava do tempo que morou na área das Olarias, no igarapé Ambé. “O esgoto ia pro igarapé. A gente juntava o lixo, o carro do lixo levava um bocado e o que ele deixava, as pessoas queimavam lá mesmo.” A situação não era diferente na região do igarapé Altamira, onde morou a doméstica Maria Rosane dos Santos, 62 anos, que definiu o mutirão como “muito bom para os adultos e, principalmente,para as crianças. Elas são as que mais jogam coisas na rua. Vendo isso, não vão mais fazer, né.” No bairro Jatobá, os moradores constroem coletivamente um lugar melhor para se viver.Leia também Moradores fazem mutirão de limpeza no bairro Jatobá
  • A campanha de comunicação “Saneamento é saúde”, promovida pela Norte Energia, Cosanpa e Prefeitura de Altamira, orienta motoristas e pedestres sobre as obras em curso no centro da cidade. Com 75% de instalações concluídas, os sistemas de abastecimento de água e de tratamento de esgoto beneficiarão os moradores do maior centro urbano influenciado diretamente da Usina Hidrelétrica Belo Monte. O sistema possui 220 quilômetros de rede e 13 estações elevatórias que vão receber o esgoto e enviá-lo à Estação de Tratamento (ETE) no bairro Recreio. Na Estação, os efluentes são tratados e direcionados já como água limpa ao rio Xingu, sem qualquer prejuízo para a natureza. Estão sendo instalados ainda 170 quilômetros de tubulação de água tratada na cidade, uma Estação de Captação, uma Estação de Tratamento de Água e oito reservatórios com capacidade para armazenar oito milhões de litros.   Confira onde as obras de saneamento acontecem entre os dias 1º a 6 de setembro. Travessa Agrário Cavalcante. Travessa Pedro Gomes. Travessa Coronel Tancredo. Travessa Comandante Castilho. Rua Manoel Umbuzeiro. Avenida Perimetral.     httpv://www.youtube.com/watch?v=L0XUr4uWLwU&feature=youtu.be
  • Antes de se mudar com a família para o Jatobá, um dos cinco bairros que a Norte Energia está construindo em Altamira, o pedreiro Dieckson Silva de Souza, 22 anos, ouviu que as casas não prestavam, eram frágeis, de isopor... Os boatos, espalhados por pessoas que assistem à distância o sofrimento causado pelas cheias históricas do Xingu às famílias residentes nos igarapés, provocou certa apreensão em Souza. Mas esse receio desapareceu quando o pedreiro decidiu ver de perto como as casas são construídas. Dieckson, que entende do assunto, não tem dúvida: “Estas casas são de qualidade.” Veja o depoimento dele. httpv://www.youtube.com/watch?v=hzBWoFOw8zQ&feature=youtu.be     Leia também: O sonho realizado dos Cardoso Uma casa para toda a vida
  • Força e determinação são palavras de ordem para o maranhense Carlos Adriano Moraes, 28 anos, que trabalha há 16 meses nas obras da Hidrelétrica Belo Monte. A fala mansa e o jeito tranquilo não escondem a satisfação de comemorar as suas conquistas dentro do canteiro. A principal delas é profissional. A trajetória de Carlos Adriano começou na construção da Vila Residencial de Belo Monte. Era pedreiro. Mas ele viu no curso Inclusão Digital, oferecido pelo Programa Qualidade de Vida, uma oportunidade, que se transformou em realidade quando foi aprovado em um processo seletivo interno para o cargo de auxiliar administrativo. Hoje, Carlos Adriano é responsável pelos procedimentos administrativos dos condomínios que abrigam a mão de obra externa do empreendimento. “Eu iniciei na obra sabendo que não queria ser apenas mais um pedreiro, queria mudar de cargo e precisava estudar para isso.” Carlos Adriano também é professor de capoeira. No Sítio Belo Monte, de forma voluntária,  ensina aos colegas de construção da maior usina genuinamente brasileira as técnicas que começou a desenvolver em 2000, quando um grupo se apresentou no bairro onde morava em Pinheiro (MA). “No início, eu queria apenas aprender as técnicas de luta. Depois, fui me interessando pela história e filosofia de vida dessa arte.” As aulas de capoeira fazem parte do projeto de Artes Marciais, organizado pelo Programa de Qualidade de Vida, que contribui para integração e o convívio entre os operários da Usina Belo Monte. “Não importa como foi o meu dia de trabalho. Eu sempre encontro um jeito de vir. Gosto da agitação e alegria do grupo de capoeira”, explica o auxiliar de produção, Thiago Costa, 19 anos. Aulas gratuitas de capoeira são oferecidas durante a semana nos centros de Convivência dos Sítios Belo Monte, Canais e Diques e Pimental. 











© Desenvolvido por santafédigital. Uma empresa do grupo santafé.