en     pt
notícias > Obras
Começa obra relacionada ao projeto da UHE Belo Monte
Postado em 07/03/2011

Iniciou hoje em Altamira trabalho de terraplanagem previsto na LI do Ibama

Terraplanagem no Sítio Pimental

Foto: Andreia Gomes - Altamira

Iniciou hoje (07/03) na região de Altamira (PA) a melhoria do acesso ao Sítio Pimental, no Travessão 27, obra que integra o projeto da UHE Belo Monte no rio Xingu. Neste local será construído o vertedouro e a casa auxiliar (subestação) do empreendimento Belo Monte. O melhoramento do acesso está previsto na Licença de Instalação (LI) concedida pelo Ibama no dia 26 de janeiro deste ano. A LI refere-se às atividades e instalações como canteiros industriais pioneiros e acampamentos dos sítios Belo Monte e Pimental, almoxarifados, escritório de engenharia, enfermaria, refeitório, terraplanagens e melhorias de acessos já existentes.

A Norte Energia S. A., empresa responsável pela construção da usina, e a Construtora Belo Monte/CCBM, começaram nesta segunda-feira, às 9h, a implantação da infra-estrutura de acesso ao Sítio Pimental, com a utilização de patrulha mecanizada de terraplanagem. A patrulha mecanizada é formada por um conjunto de máquinas e equipamentos que inclui uma motoniveladora, pá carregadora e caminhões de terraplanagem. Esse conjunto de máquinas e  equipamentos facilitará o acesso ao Sítio Pimental.

Foto: Andreia Gomes - Altamira

Foto: Andreia Gomes - Altamira

O engenheiro José Biagioni, da Norte Energia, responsável pelas obras das condicionantes ambientais da usina de Belo Monte, falou com a imprensa e explicou que esta fase da obra se refere apenas aos trabalhos autorizados na LI expedida pelo Ibama. Ou seja: melhoria de acessos para que possa ser construído o canteiro de obras para alojar os trabalhadores que vão participar de diversas ações, entre elas o projeto de saneamento da região e outras intervenções previstas nas condicionantes socioambientais que envolvem 11 municípios (Altamira, Vitória do Xingu, Senador José Porfírio, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Uruacá, Placas, Porto de Moz, Gurupá e Pacajá).

A usina

Com estimativa de iniciar as operações no dia 31 de dezembro de 2014, Belo Monte será a maior usina hidrelétrica brasileira e a terceira maior do mundo. Segundo o Ministério de Minas e Energia, sua construção deve gerar cerca de 20 mil empregos diretos. A UHE Belo Monte terá capacidade instalada de 11.233,1 MW de potência e geração anual prevista de 38.790.156 MWh ou 4, 5mil MW médios e reservatório com área de 516 km quadrados. A conclusão do empreendimento está prevista para 10 anos, com início de operação a partir do quinto ano do começo da obra.

O empreendimento integra o Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), que é uma prioridade do governo federal. Sua entrada em ação propiciará mais oferta de energia e mais segurança para o Sistema Interligado Nacional (SIN), com melhor aproveitamento das diferenças hidrológicas de cheia e seca nas diversas regiões do País.

28
comentários


28 respostas para “Começa obra relacionada ao projeto da UHE Belo Monte”

  1. Allinny Soares disse:

    Parabens !!!!

  2. marcello oliveira disse:

    Bom dia senhores,

    Somos uma empresa de locação de equipamentos naúticos em geral, todos os tipos desde lanchas, balsas, empurradores,rebocadores, caibas, bajaras etc…

    Gostaria como posso entra em contato com o setor responsavel para aprsentar nossos equipamento e serviços…

    aguardo rtorno

    grato

    Marcello Oliveira
    Stylo Logística
    (092)9226-0157
    (092)33049967

  3. marcelo silva disse:

    eu gostaria de entra contato p/prestaçao de serviços na area de transportes.
    eu tenho uma transportadora.
    tel21)92417580

  4. raimundo alves da silva disse:

    É isso mesmo o brasil começa a dar outro salto para o futuro. Como filho desta tão sofrida região, parabenizo a todos pela vitória de anos de luta, do povo da transamazônica. Conheço todas as dificuldades deste povo lutador que por muitos anos foram abandonados à própria sorte. Com o início desta obra, de fato o estado devolve dignidade e respeito merecido a esses herois da transamazônica.

  5. Graziela disse:

    Interessante como apesar de tanta controvérsia e gente contra o projeto, sua viabilidade e sua contribuição para um país melhor, o blog só mostra comentários a favor da usina…que belo filtro hein?

  6. jerfesom dos p. mota disse:

    como um paraense legitimo, digo q o desenvolvimento economico do estado do Pará não pode ficar no papel, pois o progresso do Brasil depende dele, para continuarmos sendo um país avançado em tecnologia de usinas hidreletricas e independente, pois usinas termo e nuclear poluem mais e causam danos irrevercíveis. Veja o resultado do japão… ass. jerfeso mota op. de maquina

  7. Manoel paixao disse:

    Fico feliz por essa grande obra na regiao norte parabens povo paraense.

  8. geraldo magela disse:

    tem que fazer essa obra mesmo,e deixar de ficar ouvindo organismos internacionais,principalmente norte americanos,que sao o mal desse mundo,essa obra e de vital importancia para esta regiao e muito mais para essas pessoas que ai vivem,devemos aprender a cuidar de nossas vidas e parar de ficar ouvindo conversa fiada dos outros,principalmente das grandes naçoes que ja fizeram tudo de ruim que se possa imaginar com seus indios,negros e outras naçoes,e o objetivo deles e que essa regiao ai fica desabitada para que no futuro eles possam invadir o que nosso com a desculpa de estar protegendo alguma coisa,como eles fazem sempre covardemente com as naçoes mais fracas…abraçao de minas aos irmaos do norte.

  9. julio (ilha solteira-sp) disse:

    essa obra sera um marco p/ construção civl brasileira, desenvolvimento p/ o brasil.
    ira gerar tbm milhares de oportunidades de emprego, meus parabéns ao gov. federal mas sempre visando nosso meio-ambiente. força brasil!

  10. Luiz Carlos da Silva Carvalho disse:

    Olá companheiros de esperanças e desenvolvimento, nós que pertencemos a região a UHE Belo Monte, e um dos caminhos para o nosso desenvolvimento econômico e de infraestrutura e o tão falado “Mão de obra qualificada”.

  11. ROGRIO MIRANDA disse:

    S? TEMOS QUE AGRADECER! AP?S LONGOS ANOS DE ESPERA PELO INICIO DAS OBRAS DESSA T?O SONHADA USINA EM NOSSA REGI?O E QUE FINALMENTE O DESENVOLVIMENTO CHEGARÁ NA TRANSAMAZONICA.

  12. Edvaldo R. da silva disse:

    Fico muito feliz com a construção dessa importante obra pois a mesma só trará beneficio
    para o Brasil e seus habitantes gente são mais da 20 mil emprego .

  13. Sgto da Força Aerea Neri Figueiredo disse:

    ESTAMOS VENDO ESTARRECIDOS NA TV, INTERNET, ETC…EM TODOS OS MEIOS DE COMUNICA??O DISPONIVEIS OS ACONTECIMENTOS RELACIONADOS COM A RADIA??O AT?MICA EXPELIDA PELO(S) REATORE(S) NUCLEARES RECENTEMENTE AVARIADOS PELA TRAGDIA ORIUNDA DE UM TERREMOTO EM TERRIT?RIO JAPON?S. OBSERVA-SE COM ISSO QUE O BRASIL ESTÁ CERTO EM INVESTIR EM ENERGIA LIMPA QUE É A “HIDROELETRÍCA” QUE ME DESCULPEM OS AMBIENTALISTAS, VEJAM O EXEMPLO JAPONES, SE DEUS NOS DEU TANTOS RIOS PORQUE N?O USA-LOS PARA A PRODU??O DA T?O NESCESSÁRIA “ENERGIA ELETRICA” SABE-SE QUE NOS BRASILEIROS SOMOS ESPECIALISTAS EM PRODUZIR ENERGIA ELETRICA, OS PROJETOS AMBIENTAIS S?O MUITO BEM FEITOS, NUM PRIMEIRO MOMENTO DA IMPLANTA??O DO LAGO, HÁ UM CERTO TRANSTORNO AMBIENTAL, MAS DEPOIS E S? ALEGRIA. TODOS GANHAM: O TURISMO EM TORNO DO LAGO, FAZENDAS IRRIGADAS, ABASTECIMENTO DE AGUA POTAVEL PARA AS CIDADES ETC…. VEJAM O EXEMPLO DO COMPLEXO FURNAS “RIO PARANAIBA/RIO GRANDE/RIO PARANAPANEMA/RIO PARANA/RIO TOCANTINS/ E POR AI VAI. VAMOS LÁ MEU POVO AVANTE COM ESTA OBRA, QUEM NO FINAL VAI SAIR GANHANDO E TODA A POPULA??O INDIGENA DA REGI?O, ASSIM COMO AS COMUNIDADES DE BRANCOS. GRANDE ABRA?O EM TODOS “””BRASIL ACIMA DE TUDO…SELLLLLLLLLVA”

  14. Felipe Martyres disse:

    parabens mais uma vez, pelo excelente projeto de desenvolvimento para o Brasil…

  15. karlos pereira da silva disse:

    uhe belo monte e muito boa para trazer emprego e energia para toda sociedade…

  16. jancio nunes disse:

    estou esperançoso com esse projeto, que vai trazer desenvolvimento pra essa cidade tão atrazada, que venha o asfalto da tranzamazõnica para melhorar a situação deste povo sofredor.

  17. [...] a blog post, the company leading the dam project, Norte Energia, announced that infrastructure work on roads [...]

  18. ralf nascimento disse:

    é isso ai que venga la obra …… meu amigo Gaia eu te vi …. ahhhhh felicidades

  19. [...] officially started this week on the controversial Belo Monte hydroelectric dam in the Amazon.  In a blog post, the company leading the dam project, Norte Energia, announced that infrastructure work on roads [...]

  20. DELFINO JUNIOR disse:

    O PARA TEM Q CRESCER E BELO MONTE SIGNIFICA CRESCIMENTO.PARABENS, VAMOS A LUTA

  21. rick disse:

    Parabens pelo avanco.
    “Ordem e Progresso”

    … e para aqueles que estiverem preocupados com a populacao indigena e outras questoes ambientais, leiam estes artigos:

    http://www.blogbelomonte.com.br/2011/02/15/a-comunidade-indigena-e-belo-monte/
    http://www.blogbelomonte.com.br/2011/02/14/por-que-belo-monte/

  22. [...] a blog post, the company leading the dam project, Norte Energia, announced that infrastructure work on roads [...]

  23. Danilo G.R disse:

    Uma obra desse porte, vai influenciar diretamente no tão esperado desenvolvimento da região.
    Mais para que isso aconteça, é essencial o cumprimento das melhorias e investimentos previstos nas condicionantes da UHE Belo Monte.

  24. Nereu Leandro de Moraes disse:

    Que venha Belo Monte !!! O Brasil precisa crescer !!! Avante Brasil !!!

  25. Murilo disse:

    Até que fim a tão esperada usina irá iniciar suas obras. Nós altamirenses estamos muito esperançosos com essa obra, que trará desenvolvimento para a região.

  26. Francisco Sousa disse:

    Parabens mais uma vêz, pelo exelente artigo sobre o início das obras de Belo monte.
    A nobre companheira Andréia Gomes esqueceu de se reportar, qual a distancia entre altamira e Pimental.

    Abração a todos

  • A Justiça Federal rejeitou, na sexta-feira (23), ação que pedia a nulidade das licenças prévia e de instalação da Hidrelétrica de Belo Monte, que está sendo construída pela Norte Energia S.A. (NESA) na região de Altamira (PA). O Ministério Público Federal (MPF) também teve negado o pedido para que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) fosse proibido de emitir novas para licenças, enquanto não fosse atestada a viabilidade do empreendimento com base em novos estudos complementares. Na sentença, o juiz federal Arthur Pinheiro Chaves, da 9ª Vara, especializada no julgamento de ações ambientais, diz não ver motivos para suspender a eficácia da licença de instalação. De acordo com o magistrado, não existem nos autos provas suficientes demonstrando que os estudos complementares elaborados e apresentados pela Norte Energia tenham sido rejeitados pela Fundação Nacional do Índio ou não tenha cumprido as exigências contidas em parecer técnico da própria Funai. Arthur Chaves atribuiu a carência de elementos probatórios suficientes ao que classifica de "inércia" do autor da ação. De acordo com o magistrado, o MPF deixou de produzir "provas adequadas no momento processual, vez que, como sói ocorrer em outras ações desse jaez, se limita a juntada de excessiva e desnecessária prova documental produzida de forma repetitiva e que avolumam de maneira inútil os autos, dificultando de forma despicienda até o seu manuseio e a tramitação processual." Leia a notícia em O Estado do Tapajós Leia no site da Norte Energia: Justiça Federal confirma licenças ambientais da UHE Belo Monte
  •       Leia mais no site
  • Mais de 50 projetos foram selecionados em dezembro passado para promover o desenvolvimento sustentável da região do Xingu, no Pará, onde está sendo construída a hidrelétrica de Belo Monte, conforme decisão tomada na última reunião do Comitê Gestor do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável (PDRS) do Xingu, realizada em Altamira (PA). Serão destinados R$ 33,5 milhões para 52 projetos, entre eles o de Desenvolvimento e Implantação do Sistema Integrado de Gestão Ambiental, do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Sustentável da Transamazônica e Xingu, e a construção do Centro de Apoio Psicossocial para Álcool e Drogas, do Fundo Municipal de Saúde. Na área da saúde foram aprovados 15 projetos, que somam mais de R$ 9 milhões em investimentos. Outros R$ 9 milhões são para projetos de educação, como a expansão do campus da Universidade Federal do Pará (UFPA) em Altamira e o apoio à Escola Liberdade do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Anapu. Também foram contemplados projetos habitacionais, de comunicação comunitária, de fortalecimento produtivo e de organizações indígenas, entre outros inscritos no edital de 2014. O Comitê Gestor do PDRS do Xingu também decidiu que R$ 12,5 milhões serão aplicados na continuação de projetos de 2013 e que outros R$ 5,5 milhões estarão disponíveis para financiar novas ações ao longo deste ano. Deste modo, os recursos disponibilizados pelo PDRS do Xingu para a implementação de políticas públicas e de iniciativas da sociedade civil em 2015 totalizam R$ 51,6 milhões. O balanço realizado na última reunião do comitê apontou que o PDRS já havia liberado R$ 150 milhões para 147 projeto, sendo que 82% deles estão concluídos ou em execução já gerando desenvolvimento sustentável para a região. O Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável (PDRS) do Xingu tem a finalidade de implementar políticas públicas e iniciativas da sociedade civil que promovam o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida de mais de 400 mil pessoas que habitam a região impactada pela construção da usina hidrelétrica Belo Monte. No leilão de energia de Belo Monte foi prevista a aplicação pelo empreendedor de R$ 500 milhões em projetos definidos pelo Comitê Gestor do PDRS. Esse colegiado, formado em julho de 2011, é constituído por representantes dos governos federal, estadual e municipais, dos movimentos sociais, organizações ambientais e não governamentais, entidades sindicais de trabalhadores urbanos, rurais e dos pescadores, além de entidades patronais e comunidades indígenas, que decidem sobre a aplicação dos recursos. Leia a íntegra e acesse os vídeos no site do PAC  
  •  
  •     Saiba mais sobre a chegada dessa turbina, AQUI.  
  • Os canteiros de obras de Belo Monte, em Vitória do Xingu (PA), reúnem milhares de pessoas vindas de todos os cantos do País. São brasileiras e brasileiros que se empenham dia e noite para erguer a maior obra de infraestrutura em construção no Brasil, obra que, quando estiver em plena operação, vai levar energia limpa e renovável a 60 milhões de pessoas.Belo Monte também é local de encontros inesperados, emocionantes. Um deles ocorreu nesta quarta-feira (24/9), logo depois de o estudante El-Elyon Machado Monteiro, 16 anos, chegar ao Sítio Belo Monte. Era o início do roteiro do Conheça Belo Monte, projeto da Norte Energia que abriu as portas da maior hidrelétrica genuinamente brasileira a estudantes da rede de ensino pública e moradores dos municípios da Área de Influência Direta. Logo que desembarcou do ônibus no mirante de Belo Monte, onde será instalada a Casa de Força Principal do empreendimento (11 mil MW de potência instalada), El-Elyon foi surpreendido pela chegada do pai, Francisco da Silva Monteiro, que trabalha naquele sítio. Ao filho, faltaram palavras. Ao pai, emocionado, sobrou felicidade e orgulho com El-Elyon. "Meu filho está inscrito no Programa Jovem Aprendiz e vai trabalhar aqui em Belo Monte como auxiliar administrativo.” Em breve, pai e filho voltarão a se encontrar como colegas de trabalho em Belo Monte, uma usina que também emociona Francisco. “Sou barrageiro e tenho orgulho em construir a maior obra deste País.” Leia também: “Conheça Belo Monte” recebe estudantes de Altamira
  • O PHD em engenharia civil e ambiental da Universidade de Illinois, professor Marcelo H Garcia, criticou em carta o uso indevido e distorcido de sua pesquisa por grupos contrários à Usina Hidrelétrica Belo Monte. Em palestra realizada no Texas, o professor falou justamente sobre as inovações da engenharia de construção aplicadas nas obras. Contudo, seu estudo foi usado para atacar o projeto do canal de derivação da usina. O engenheiro não citou nomes, mas sua atitude foi tomada após saber que a palestra foi citada em manifesto enviado à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) por entidades que ainda esperam parar as obras de Belo Monte. Em carta enviada à Norte Energia o engenheiro diz que o projeto do Canal representa o “estado da arte nesse tipo de empreendimento”. Garcia foi um dos especialistas que se reuniram no simpósio "Questões atuais de Gestão de Bacias Hidrográficas no Brasil: Uma Visão Geral das necessidades e aplicações de pesquisas sobre Rios e Recursos Hídricos”. Realizado em abril deste ano, o evento foi  organizado pelo Instituto de Estudos Latino-Americanos LLILAS Benson e pelo Departamento de Geografia e Meio Ambiente da Universidade do Texas (Austin). Em sua apresentação, Garcia validou o grande desafio de engenharia que Belo Monte representa. Um dos aspectos da obra, um marco em diversos sentidos, foi analisado por ele na apresentação "Canal de Derivação de Belo Monte: Estabilidade da Rocha ao transportar 14.000 m3/s”, direcionada ao público acadêmico. Ao tomar conhecimento de que sua análise estava sendo distorcida, o professor e consultor de engenharia escreveu a carta na qual reiterou: "eu acredito que o Canal de Derivação de Belo Monte vai funcionar tão bem quanto esperado, segundo as recomendações resultantes das análises de hidráulica de canais abertos e da estabilidade da rocha, que realizei com meu grupo de pesquisa da Universidade de Illinois”. O documento abaixo, escrito em inglês e traduzido para o português, é mais uma comprovação de que os mitos que se espalham sobre o empreendimento devem ser combatidos com dados e fatos bem embasados. Leia a carta na íntegra, em português, AQUI. Leia a carta na versão original, em inglês, AQUI.











© Desenvolvido por santafédigital. Uma empresa do grupo santafé.