en     pt
notícias > Norte Energia
Conheça a UHE Belo Monte
Postado em 18/11/2011
Sítio Belo Monte

Sítio Belo Monte

Um projeto complexo como o da Usina Hidrelétrica Belo Monte, com estudos que se estenderam por mais de 30 anos antes do início das obras, rendeu a edição da cartilha Conheça a UHE Belo Monte, que irá contribuir com o debate sobre sua construção, no Rio Xingu. O material, elaborado pela Norte Energia S.A., já está em sua segunda atualização, trazendo informações técnicas sobre o empreendimento, tanto do ponto de vista da engenharia quanto dos benefícios socioambientais que levará àquela região do Pará. O texto foi traduzido para os idiomas Inglês e Espanhol, de forma a esclarecer os principais aspectos da usina ao maior número de interessados.

—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–

Faça o download da cartilha, aqui:

Baixe a cartilha em Português
Download the booklet in English
Descargue el folleto en Español

—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–—–

57
comentários


57 respostas para “Conheça a UHE Belo Monte”

  1. Daniel disse:

    Obrigado!

  2. jhonata minatti disse:

    Realmente sem energia é impossível o desenvolvimento industrial. Apesar do rio Xingu ter pouca queda de água, a produção de energia é compensada por uma área alagada gigantesca e obras faraônicas de represamento. Contudo é muita hipocrisia falar que o atraso da construção de Belo Monte foi por causa dos índios ou dos ambientalistas, pelas palavras do ex-presidente Lula, ainda em campanha, “Num cenário em que a água doce passa a ser um recurso escasso e pode se tornar grande alvo de disputas territoriais, a matriz energética do Brasil deve ser repensada, com fortes investimentos em inovação ecnológica, para evitar intervenções de grande impacto ecológico sobre os recursos hídricos. A água deve ser considerada em seus múltiplos usos, entre os quais a geração de energia. Porém, a geração de energia hidráulica pode evoluir de barragens que afetam vastos espaços sociais e ecológicos para unidades de pequena intervenção com máxima eficiência técnica, sempre concedendo benefícios aos municípios que recebam o impacto causado pelas hidrelétricas.
    Considerando as especificidades da Amazônia, o conhecimento fragmentado e insuficiente que se acumulou sobre as diversas formas de reação da natureza em relação ao represamento em suas bacias, não é ecomendável a reprodução cega da receita de barragens que vem sendo colocada em prática pela Eletronorte.”

  3. Márcio Gonçalves disse:

    No estágio de desenvolvimento que o país se encontra, torna-se impossível não termos um aumento na geração de energia. Assim como Belo Monte a UH de Marabá trará para nossa região a possibilidade de crescimento e desenvolvimento! Entraremos na era do transporte hidroviário e isto trará para nossa região uma nova identidade que nos tira da situação de reféns da mineradora que monopoliza a malha ferroviária e impede de forma egoísta nosso crescimento! Sou a favor por saber que é necessário! Creio também que ninguém quer ter em sua cidade uma usina nuclear isto inclui os Srs. “ambientalistas” e a classe artística!

  4. francisco cruz disse:

    todo emprendimento tem seus pros e contras,vai favoreçer nos brasileiros e tambem pode causar um dano ambiental,toda forma de expressao e valida e temos que respeitar as opinioes,independente se estamos de acordo ou nao!

  5. john de souza disse:

    Desde já agradeço a atenção, eu sou estudante de eng. de petróleo e gás e a minha monografia é sobre energia renovável e eu escolhi a hidrelétrica como fonte principal, gostaria de receber informações sobre o projeto tais como tipo de turbinas, capacidade, impacto socioeconômico – ambiental e como funcionará o projeto e quantas cidades ou colônias estão sendo recolocadas.

    Atenciosamente;

    john

  6. Silas Soares Pinto disse:

    Diante de tantas noticias, em torno da U.H.E Belo Monte, confesso que esta completa a 12ª Obra UHE em que trabalho,dentro e fora do pais. Hoje lotado no Sitio pimental
    com passagem pelo Sitio Canais,Porem em 6 ( seis) Projetos anteriores sempre lotado nas obras COMPLEMENTARES, entornes e áreas de impacto dos lagos e reservatório,tenho observado,as ações da NORTE ENERGIA, com inteira responsabilidades,em todo os seguimentos,desde as ações sociais , meio ambiente ate mesmo a construção da Gigante.
    Na Óticas dos questionadores faltam maiores veracidades quando forem fazer qualquer cometário que vem denegrir a imagem relacionadas UHE Belo Monte (Norte Energia) .
    ATT
    silas pinto EPBM.

  7. Simon disse:

    Hello
    Are there newer infomation sheets about the facts about power and data of the different aspects? This data is from 2011, is there any newer?
    Thank you very much

  8. Miguel Felippa disse:

    O material exposto é de exelente qualidade e ajuda aos leigos como eu, a entender essa obra gigantesca que a credito esta sendo injustamenta criticadsa por pessoas que não se aprofundaram no estudo da mesma. Realmente o Brasil necessita de essa energia para poder continuar crescendo.

  9. RONEY disse:

    Sou 100 % à favor da contrução da usina hidroeletrica Belo Monte ….

    Desenvolvimento sustentável para a região norte .

    Basta ver o O RELATORIO DO RGI (sustentabilidade ) das empresas que são responsáveis pela construção dessa barragem…

    RONEY
    Indaiatuba São Paulo

  10. Magnus Antonio dos Reis disse:

    É quando o progresso chega incomoda nuita gente.Voces estão de parabéns e vale a iniciativa da construção aliás já em ritmo acelerado, que Deus os abençõe e vão em frente, tudo vai dar certo aliás ja deu.

  11. joão disse:

    Bem, acredito eu que todos devemos respeitar qualquer opinião, errada ou não a favor ou contra, é muito infantil ficar brigando com alguem por isso, afinal estamos em um pais livre, e lutamos pra que isso acontecesse não é?
    ja que liberdade de expressão de se manifestar, expor sua opinião não e crime!
    e sim um ato de cidadania…….

  12. Silvia disse:

    No ínicio eu acompanhava os pesamentos idelogicos dos ativistas contra a construção da UHE, mas após vários anos voltei na região de férias jan/2013, e fiquei impressionada, que essa construção trouxe muito mais desenvolvimento para a REGIÃO é claro que existem os pontos negativos, mas os positivos são muito maior, as pessoas tem mais interresse em estudar e se intruir mais, ter um trabalho digno indepedente de que área for. a MAIOR DETRUIÇÃO DA FLORESTA E DOS INDIOS não é a Hidrelétrica e sim os grandes destruidores é os grandes fazendeiros ou grileiros de terras da União. UHE Belo Monte para todos só veio dar vida a região abadonada por todos.

  13. Flauci Alves de Rezende disse:

    Evidentemente que muitos setores da sociedade iriam protestar contra a constução dessa hidrelétrica. Felizmente hoje em dia as grandes construções causadoras de grandes impactos e também grandes benefícios contam com um universo de profissionais capacitados a encontrar soluções onde todos acabam sendo beneficiados de alguma forma e a obra possa sim trazer só beneficios. Eu como brasileiro sinto orgulho de podermos mostrar pro mundo que temos sim muita capacidade de realização e de poder crescer às nossas custas. Não vejo a hora de poder estar participando de mais uma grande obra.

  14. Damires, Altamira Para disse:

    eu sou contra belo monte, primeiro por me tirarem da minha casa sendo q nem é lugar de risco, to longe do rio e colocar sabe Deus onde em bairro distante longe de tudo e de todos, segundo minha cidade virou um caos o custo de vida ta altissimo, muitos acidentes nas ruas e o principal o nosso rio cartao postal com um concreto bem no meio lindo isso… so sei de uma coisa que quando a natureza destroi o q homem fez e catastrofe mais quando o homem destroi a natureza e progresso. vai entender…

  15. Marlon Róger disse:

    Sou contra!!!! e não consigo entender como em um país tão grande como o Brasil,nos nossos dias em que se fala de energia limpa ainda dão continuidade nesse projeto ultrapassado e que trara impactos ambientais irreversíveis para aquela região tentendo de todas as formas colocar essa ideia goela abaixo passando essa imagem de que sera para beneficio de 26 milhoes de pessoas.Com um orçamento de 30 bilhões poderia-se usar em realmente outras formas de energia como a eólica e a solar,seria bem mais fácil menos custo e nao traria tantos danos ambientais como a Belo Monte trará!!!Brasileiros passivos acordem é hora de lutar contra esses governos e setores privados que estao fazendo do brasil um país escravo em pleno seculo 21!!!!

    • Prezado Marlon,
      Agradecemos seus comentários. Sugerimos que você continue acompanhando as informações divulgadas aqui, no Blog Belo Monte, onde a Norte Energia disponibiliza informações sobre os avanços que Belo Monte tem promovido na região do Xingu, benefícios que irão se expandir por todo o país.

      Atenciosamente,
      Blog Belo Monte

  16. william verch disse:

    e finalizando realmente o norte esta um abandono, falta tudo, mas sera que não é uma estrategia politica?? sera q o governo, com intuito de ganhar muiitttoooo dinheiro ja não veio planejando isso a muito tempo, abandonar seu povo para depois dar suas migalhas ja que essa obra feio monte ja ta nos papeis a bastante tempo…..se o povo dai ta feliz vendo sua natureza ir embora, fico triste, repito!!! sairia muiittooo mais barato criar energia eolica, ou energia solar………mas como sempre nossos governantes querem encher o bolso………..ACORDA BRASIL!!!!!!!!

  17. william verch disse:

    oi..sou a favor do progresso, mas sem agredir a natureza. essa usina vai destruir um dos rios mais lindos do brasil( rio xingu, rio roosevelt), não só vai destruir rios, mas sim toda sua biodiversidade ali existente…milhoes de m3 de arvores, animais, tudo debaixo dágua, para alguns ganharem muito dinheiro, o brasil tem sim outras formas de gerar energia……….porque nao usam a força dos ventos, ou força do sol ja que o brasil é 1 pais tropical, gente acorda brasil!!!! logo não teremos mais nosso verde, verde é tudo, é pulmão, é vida. acorda brasil!!!!!!!

    • Prezado William,
      Agradecemos o seu comentário.
      A construção de Belo Monte não irá destruir o Rio Xingu. Estão sendo adotadas medidas para preservar sua biodiversidade e, ainda, manter o uso do Xingu para a subsistência das comunidades da região.
      As ações em favor dessas comunidades já podem ser vistas em projetos de ampliação das redes públicas de saúde e educação, saneamento básico, segurança e outros.
      Continue acompanhando as notícias sobre a Usina Belo Monte no Blog Belo Monte.

      Atenciosamente.
      Blog Belo Monte

  18. Alcindo disse:

    É impressionante a preocupação deste projeto com o fator humano e ambiental, e mais impressionante ainda é sua grandeza. Se tudo oque está proposto nos 86 projetos humanos, sociais e ambientais forem cumpridas a contento, será a primeira vez que no Brasil uma obra desta magnitude atinja a tantas condicionantes. O projeto em si, é uma verdadeira joia da engenharia, mas cabe uma observação, o sistema transposição das embarcações é primário e deveria sofrer modificações para se tornar mais ágil e eficiente. Existe modelos mas eficientes no mundo que deveriam servir de parâmetro. No aspecto de geração de energia, seu modelo de aproveitamento da força hidráulica a “fio d’água” é muito interessante e condizente com a topografia da região. É verdadeira a afirmação que este modelo causará impactos ambientais bastante reduzidos. E estes impactos também serão mínimos se levados em conta o tamanho da obra e extensão da área a ser atingida pelo seu reservatório(É errado afirmar que não haverá um, embora reduzido, ele vai existir). Porém, estes fatos não ofuscam o brilhantismo deste projeto. Parabenizo seus idealizadores!

  19. herto krombauer disse:

    o passo certo para o brasil crescer

  20. claudio disse:

    Oi eu faço parte dessa grande obra.

  21. Claudio disse:

    É muito facil para um pseudo-ecologista ter energia na tomada ligar o computador e falar mal de Belo Monte, é só colocar ele para gerar energia na manivela que mudam de ideia rapidinho.. O BRASIL PRECISA DE BELO MONTE..

  22. Alessandro Brito disse:

    É com muito orgulho e satisfação que declaro o apoio a um empreendimento de tal magnitude no setor energético, pois mostra a força que o país tem em resolver problemas voltadas para o bem comum, a sociedade e o meio ambiente. Tenho plena convicção que este projeto é voltado para o futuro, e não deixa a desejar as questões sócio ambientais. Meus parabéns!!

  23. Leônidas Ferreira dos Santos disse:

    Sem muitos rodeios a U H BELO MONTE é muito importante para o futuro do BRASIL

  24. Carolina disse:

    O Brasil não é mais o mesmo! Não somos mais um país sem perspectiva e estacionado. Nós crescemos consideravelmente!! Cada vez mais temos mais residências, empresas, fábricas… Somos o líder da América Latina e já somos a 6ª economia do mundo!! Pensar pequeno não combina mais conosco. Pra se ter uma idéia do tamanho dessa usina e do seu potencial, nós abasteceríamos com ela a população da Argentina por 1 ano!!! É muita coisa!!! De novo: Nenhum povo será afetado por alagamento! A parte que será alagada já é naturalmente alagada pelo Rio nas cheias todos os anos! Só que agora, o povo que antes era afetado por esse alagamento, será alocado em região com saneamento básico e todas as condições dignas de vida. O Governo exige isso como condição para a costrução!! Já atrasamos essa obra em mais de 30 anos por causa de pseudo-ecologistas que querem saber de mato, mas não querem saber de gente, como se ambos não tivessem a mesma importância de estarem vivos! As pessoas que moravam naquela região e que tiveram que sair para oportunidade de vida nas grandes capitais já querem voltar para suas terras porque sabem que agora eles tem perspectiva de um futuro digno. E realmente, pessoas do mundo inteiro são contra o projeto. Lá fora eles não admitem que aquele país do passado, subdesenvolvido, terra de “macaquitos”, se torne auto suficiente em energia sustentável! Assim como não admitem realizarmos a Copa do Mundo, não devermos nada ao FMI, ajudarmos a Africa e sermos donos de uma terra abençoada que jorra petróleo… assim como não admitiram um dia, um analfabeto sem dedo e pinguço ser apresentado à um reprsentante de um país da Europa pelo homem mais poderoso do mundo como “o cara”… Esse povo lá fora teve que nos engolir e agora se desesperam mais uma vez pela nossa vitória: a 3ª maior hidrelétrica do mundo!!! E sem agredir nossos povos. São bilhões? Sim. Mas hoje a gente pode. Antigamente, nem em sonho a gente poderia fazer um projeto desses porque nunca tivemos esse dinheiro! E quando aparecia quantias assim, estavam em paraísos fiscais nas contas dos governantes ladrões. Esse projeto só traz benefícios ao Brasil e, principalmente, ao povo esquecido daquelas terras. Quem não é a favor, mora bem distante daquela realidade, e, todos os dias, toma seu banho quente e toma sua cervejinha gelada…

  25. Vinícius disse:

    Há pessoas que ainda não se atentaram ao projeto real Belo Monte e criam visões distorcidas quanto ao empreendimento recrudescendo críticas sem fundamentos. Ao invés de internaliza-las de forma passiva, analisem antes! O Brasil tem um grande potencial de crescimento, o que desperta a cobiça dos países desenvolvidos que temem por mais uma potência em seu hall de concorrentes, com isso formam esses tipos de opniões em massa, das quais muitos de nós, brasileiros, damos créditos, infelizmente.
    Estou na região do empreendimento e vejo o desenvolvimento que outrora passava a passos largos daqui.

  26. Célio disse:

    Também sou a favor de Belo Monte. Sou estudante de engenharia elétrica em Salvador e acredito que o aproveitamento do nosso potencial hídrico e uma grande vantagem sobre muitas nações ricas que como já disseram em comentarios anteriores dependem de outro tipo de alternativa muito mais danosa e perigosa como nuclear e carvão. E claro que devemos dar o devido respeito as populações de índios e ribeirinhos cumprindo as condicionantes e trazendo melhoria de vida para eles. Este projeto e um exemplo de sustentabilidade. Temos que progredir, sem energia não há progresso, porém e possível minimizar os impactos. Parabéns aos idealizadores deste site e acredito que muitos mudaram sua opinião contraria após assistirem todos estes vídeos e explicações a respeito do projeto. Não podemos deixar que os interesses dos poderosos atrapalhem o progressos do pai’s.

  27. César disse:

    É triste ver pessoas sem informação nenhuma falar de algo tão complexo e nescessário para todo o Brasil. Literalmente existem pessoas que vivem na idade da pedra. É arriscado pararem uma obra dessas porque um casal de pardal choca naquela região.

  28. Carlos Piazza disse:

    sou a favor e quero ajudar a propagar, tenho alerta no Google com todas as matérias que saem, há necessidade de cada vez mais mostrar o que se perder e o que estes pequenos grupos dizem que são na verdade mentiras travestidas de engajamento. Não vejo a participação da empresa em tantas e tantas páginas contra o projeto no Facebook. Tem que ter resposta pronta e combativa em todos estes ambientes….sinto falt de vocês no combate.
    Compartilhando no meu facebook a cartilha! O Brasil precisa de desenvolvimento.
    Abs
    Carlos Piazza
    São Paulo

  29. Edu, Birigui-SP disse:

    Sou a favor da Usina de Belo Monte! O Brasil precisa urgente desta usina, vários países no mundo, principalmente na Europa, queriam ter este tipo usina limpa e que não traz danos ao meio ambiente, ja que lá não tem esta dimensão de terra e rios que temos aqui no Brasil, então eles optam por usinas nucleares que são as piores do mundo com efeitos radioativos, poluição e contaminação do solo e da água, isso sim é prejudicial a humanidade e ao planeta. Eu não quero no futuro ver o Brasil com falta de energia elétrica e vivendo vários apagôes dia e noite. Belo Monte já!!!!!!!!
    Ah…enquanto o protesto em tempestade em copo dágua que os atores globais fizeram, coitados eles foram pagos pra fazer papel ridículo naquela propaganda e no fundo eles sabem que sem energia elétrica os trabalhos deles na tv acabam, ja que depende de energia. Enfim Belo Monte precisa ser construída urgentemente para o bem do País e de todos!!!

  30. Mauro Stein disse:

    O incrível é ver como um punhado de índios e ecologistas conseguiram por mais de 30 anos impedir o progresso do país. Sou a favor sim de Belo Monte. Este projeto criará o desenvolvimento que essa parte do Brasil tanto precisa, gerando milhares de empregos e energia elétrica para mais de 26 milhões de brasileiros. O que precisamos é nos conscientizar do nosso valor como grande nação e não dar ouvidos à estrangeiros que almejam como outrora manter este país dependente dos ditos países do primeiro mundo.

  31. Jose Oliveira Martins disse:

    Caso conseguisse iria para Altamira trabalhar e viver lá. A região é linda e de grande futuro para os mais jovens. Com o desenvolvimento, breve, não será mais nescessário que os jovens da região partam para outras regiões a procura de trabalho. Os investimentos serão realizados aí mesmo na região. Que o Supremo Arquiteto do Universo abençôe todo o povo dos municípios existentes no entorno da UHE BELO MONTE.

  32. Náglia Natasha Aux. Adm. I disse:

    Belo Monte vai ser Dez, um abraço a todos os amigos e companheiros que já estão em ALTAMIRA – PA, Quem sabe eu tambem consiga colaborar com está seria muito gratificante.

  33. Boa tarde.
    Quero dizer que sou 100% a favor da construção desta usina, Belo Monte só trará beneficios para a população em geral. Não deixem que ongs e astistas da Globo vanhaatrapalhar vcs nesta obra maravilhosa para o Brasil. Infelizmente toda vez que vai se fazer uma grande obra no Brasil existem sempre interesses de pessoas que são contra só para tirar proveito da situação. Espero filmente que nossa Presidenta não afaste um cm para traz e toque este projrto até o fim. Tambem espero que ela faça o mesmo na tramsposição das aguas do rio São Francisco ,que ira beneficiar o povo nordestino.
    Um grande abraço a todos que estão trabalhando neste projeto e que DEUS abençõe a todos.

  34. Raimundo do Espírito Santo disse:

    Sou paraense! Conheço bem a realidade do Oeste e Sul do Pará. Já dirigí caminhão na Transamazônica e sei o que é viver em um lugar sem infraestrutura e qualidade de vida. Hoje a Amazônia é abandonada, pois só serve para os estrangeiros descerem de jatinho e negociarem nossas riquezas (minérios, plantas e animais) com os indígenas. A propósito, sou bisneto de índio. Esta obra só trará benefícios à população local, aos paraenses e a todo o Brasil. Os impactos socioambientais que ocorrerão serão meros ajustes, se observados de forma correta. Essas mudanças só abrem muitas oportunidades para os nossos jovens e portas de emprego para os pais de família. Hoje moro em São Paulo, sou analista de sistema e programador de computadores, mas se uma das empresas envolvidadas me chamasse para trabalhar nessa obra grandiosa voltaria para minha terra sem exitar! Sei que no futuro todos vão agradecer por esta iniciativa.

  35. sou altamirese ha cinco anos morro em SP vou voltar pra participar da maior festa que o nosso povo merece que e construir essa maginifica obra ao povo da transamazonica parabens e conte com migo que eu tou indo ajudar abraço

  36. Alexandre Cesar disse:

    Olha realmente e de encher os olhos, quando vi estes vídeos postados no site da Norte energia entendemos o que e construção sustentável socioambiental, no começo também fui contra a construção sem nem mesmo saber direito onde ia ser só sabia que seria no Pará e que iria inundar terras indígenas, pegando uma carona com a falta de informação. Hoje depois de conhecer todo o estado do Pará até pacajá fazendo representação vi a situação de abandono que vive esse povo, ainda nesta semana que passou tive em Xinguara e um abandono total. Pois bem os artistas e ambientalistas criticam, mas muitos deles nunca tiveram aqui pra saber o que realmente acontece na vida dessas pessoas, por exemplo, o difícil traslado na transamazônica Marabá X Altamira e ver de perto a situação de descaso… Belo Monte indiscutivelmente vem pra mudar toda essa região, dando mais dignidade, trabalho e mudança de vida, pra melhor, para esses paraenses que sempre tiveram esquecidos pelo poder público e por esses que agora estão contra essa grande esperança que se chama BELO MONTE. Parabéns a todos que estão à frente dessa mega construção….. E como vários colegas que se manifestaram também claro QUERO TRABALHAR NA CCBM hehhehhehe uma grande abraço a todos fiquem com deus.

    Alexandre Cesar dos Santos
    Gestor Ambiental
    alexandregestoramb@hotmail.com

  37. Vandir Cachone disse:

    Ventilador,ar cond. Etc,Etc,Etc,.Porque os nossos irmãos teem quer cerceados dos direitos que lhes são garantidos pela nossa contituição,porque não terem os memos direitos que nós,se é bom para mim será bom para os nossos irmãos,temos que deixar de demagogia barata a a apoiar e apludir nossos irmãos paraenses e todos aqueles que estão empenhas em mais esta grande Missão.Aqui vai o nosso apoio e nosso desejo é que Deus abençoe a todas estas vidas e que haja e haverá desenvolvimento e qualidade de vida em nome do Senhor Jesus.Vandir Cachone

  38. Vandir Cachone disse:

    Achamos de uma grandeza fenomenal as iniciativas,desprendimentos e coragem das pessoas que corajosamente teem se colocado a frente deste vultuoso empreendimento de fundamental importância para o Pará e para o Brasil como um todo. Fico estarrecido quando vejo pessoas inescrupulosas usando a mídia para se colocarem contra o desenvolvimento e crescimento de um Estado, região e do País. Entendo que estas pessoas para serem contra qualquer que seja o meio de desenvolvimento primeiro teriam que renegar os beneficios que usufruem dos mesmos deixando de: Tomar banho quente, tomar sua cerveginha gelada, seu refri, leite, suco, iogurte, televisão, internet, a luz elét

  39. Rosalina disse:

    O Progresso chega junto com a usina, pq sou do Pontal do Paranapanema-sp e nesse pontal so chegou hospitais e escolas boas com as usinas hidrelétricas aqui construídas. Usina Belo Montes será a menina dos olhos do Pará.

  40. anderson Vieira disse:

    Gostaria de informaçoes sobre a contratação de mão-de-obra para area de segurança do trabalho, como faço para entrar em contato com o RH da obra…

  41. NA COZINHA disse:

    SOU A FAVOR DE BELO MONTE, NASCI COM CARARAO, MAIS GOSTARIA DE OPORTUNIDADE DE AJUDAR O CCBM E FAZER HISTORIA EM MINHA TERRA.. SIM BELO MONTE

  42. francisco elson disse:

    vai um recado para aqueles que não moram aqui, não sabem da nossa historia, que precisa de progresso somos nos que passamos anos e anos esperando do poder publico da nosso estado, e União, MUITOS Anos se passaram e não fizeram nada, por isso e uma realidade deixem o pessoal trabalharem e vão encher o saco e perturbar outros

  43. É incrivel como o brasileiro não procura conhecer um assunto para poder tecer comentários produtivos e fundamentados. Esta questão é de extrema importância para o Brasil. Estamos em franco desenvolvimento, as pessoas (que são totalmente desinformadas e agindo como animais guiados por ‘espertos’) agem sem pensar no interesse do povo brasileiro defendendo somente o interesse de uma pequena parcela que se satisfaz em pescar e viver assim…sem qualquer perspectiva de vida. Não quer mudar isto, é fato ! Precisamos entender que esta usina beneficia direta e indiretamente todo o Brasil ! Isto para os países que estão falidos é um perigo eis que se este país crescer , faltamente irá tomar o lugar dos ex-poderosos…. o Brasil representa atualmente um risco !!!! DEVEMOS ENTENDER ISTO !!!!

    • TCS disse:

      Mais incrível ainda, é ler isso que você disse de que são pessoas sem perspectiva de vida e que se satisfazem em pescar e viver. Como assim? Acredito que você não saiba o significado da palavra cultura, além disso sua visão é extremamente preconceituosa! Uma pergunta: Você leu o resto do blog? Notou que o objetivo da Belo Monte não é acabar com essas populações e sim gerar energia!? E outra, existe uma seção, que fala sobre a quantidade de escolas que existem em cada um dos municípios por onde o rio passa, e conforme aumenta o grau de ensino, diminui a quantidade de escolas, logo, nem todos são atendidos a um bom nível de escolaridade, e as pessoas ainda dizem que eles não possuem perspectiva de melhora. Que absurdo!

    • Antonio de Almeida disse:

      ENTENDER ISSO!!! Você é quem deveria voltar a estudar e entender que pessoas vivem bem da pesca e agricultura familiar, melhor até que muitas outras que moram em grandes cidades. Seu preconceito cre que ter uma tv nova, um carro na garagem são perspectivas de vida. Lamentavel…

    • Jacques Lima disse:

      O mundo passa por uma revolução, e a palavra é SUSTENTABILIDADE !
      Não existe nada mais sustentável que a NATUREZA.
      Os Índios, com sua cultura “primitiva” nos dão o maior exemplo de sustentabilidade que se pode ter:
      Vivendo da floresta, com a floresta sem desequilibrar o meio ambiente.
      Certamente aquele que vive com simplicidade, vive então da forma mais nobre e independente possível : Sustentável.

  44. Francisco disse:

    Estamos sendo bombardeados por declarações (principalmente internet) de “artistas” se posicionando contra a construção da usina de Belo Monte. A falta de critérios e conhecimentos em tais declarações é alarmante. Acredito ser importante que a população seja melhor informada sobre êste importante projeto para todo o Brasil e seus futuros benefícios. Agora que milhões foram “despertados” seria de grande valia mostrar o lado certo da moeda!
    Grato.

    • Prezado Francisco,
      A internet também nos permite disseminar as informações corretas sobre a Usina Belo Monte e estabelecer um debate saudável e construtivo. Por isso, a Norte Energia criou este blog, sua página na internet (www.norteenergiasa.com.br) e contas em várias redes sociais (Facebook e Twitter).

      Agradecemos seu comentário,
      Blog Belo Monte

      • Marcio disse:

        A principio quem ouve os fundamentalistas do projeto Xingu vivo, tem por convicção que a Usina de Belo Monte é um vilão que irá devastar toda a area do alto e baixo Xingu, mas na realidade a area alagada e desapropriada seá tão infima em relação a área desmatada por madereiros e exploradores que devastam a amozônia e não tem tanta repercução em ambito nacional, estes extremistas deveria olhar para o futuro do Brasil no qual, em um cenário não muito distante teremos o Brasil entre as 5 maiores economias do mundo, e para isso, energia é fundamental. A Norte Energia deveria produzir um comercial em rede nacional em horário nobre para divulgar a realidade do empreendimento, e não deixar que as opiniõe de um pequeno grupo seja motivos para tanto alardes.

        Sou a favor do desenvolvimento do Brasil, sou a favor de Belo Monte.

        • Sidevan Alves Santos disse:

          Sou a favor de belo Monte! o Brasil precisa se desenvolver e desenvolver a região. parabéns por belo monte, ter saído do papel.

  • Profissionais qualificados estão deixando as suas cidades. O interior de 9 estados geraram, de janeiro a setembro, quase 413 mil vagas. A Sala de Emprego dessa segunda-feira (3) mostra que há muitas oportunidades de vagas no interior do Brasil e muita gente está deixando as capitais. Nos últimos anos, o perfil desse trabalhador mudou. Hoje quem deixa a cidade natal em busca de oportunidade são profissionais qualificados. As cidades do interior de nove estados geraram, de janeiro a setembro, quase 413 mil vagas, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). Esses estados são responsáveis por 70% das vagas de todo o Brasil: Bahia, Pará, Ceará, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. O PIB do interior cresceu 49% nos últimos dez anos, quase 10 pontos percentuais a mais que o dos grandes centros urbanos. Em 2013, o interior desses estados gerou 552.071 empregos. As principais áreas de contratação são indústria, construção, comércio e serviços. A tradicional agricultura ficou de fora no ano passado.    Sudeste Pesquisa feita por uma empresa de recrutamento com mais de quatro mil trabalhadores mostrou que 88,3% dos entrevistados aceitariam uma proposta para trabalhar no interior de São Paulo. Com mais de 2,6 milhões moradores e 20 municípios, a Região Metropolitana de Campinas foi escolhida por mais de 32% dos entrevistados. Entre os atrativos de Campinas estão a proximidade com a capital paulista, as boas universidades e um pólo industrial maior até do que de algumas capitais. Sozinha, a cidade responde por 15% de toda a produção científica do Brasil. A especialista em tecnologia da informação Andrea Alves não teve dúvida e trocou a capital pela vida no interior. A empresa em que ela trabalha tem hoje 40 vagas abertas. “Eu gastava uma hora do meu trabalho para minha casa e achava isso normal. Aqui no interior tenho chance de morar em uma casa. O mundo era mais confinado lá”, relata. Campinas tem dois parques tecnológicos que empregam 15 mil pessoas. Muitos são estudantes que se formaram na Unicamp. A maior fábrica de computadores do Brasil acabou de ser instalada na cidade e a empresa está procurando profissionais com experiência em desenvolvimento de software, gerenciamento de projetos e pesquisa, engenheiros de ciência e computação. Para alguns trabalhadores, as empresas instaladas no interior são vistas também como uma oportunidade de crescer na profissão e a chance de fazer um plano de carreira. Claudio saiu de São Paulo e chegou a uma indústria em Vinhedo, que tem mais de 350 empresas de médio e grande porte, só com ensino fundamental. Com ajuda do patrão, fez faculdade e hoje ocupa o cargo de gerente de logística. “Tem chance demais, to estudando para isso. Hoje São Paulo para mim é só para ir ver a família mesmo”. Nordeste No Nordeste, o destaque é São Gonçalo do Amarante, no interior do Ceará. O Porto do Pecém atraiu muitas empresas para a cidade. Nos últimos quatro anos, 21,8 mil pessoas foram contratadas com carteira assinada, o que representa quase metade da população da cidade, que, antes, só recebia visitantes durante a alta estação. O gerente de operações Rogério Ribeiro controla a entrada das mercadorias que vêm de outros países para o porto. Por ele passam 50 contêineres por dia e 1,2 mil caminhões por mês. "Essa é uma área que cresce muito, tem empregos de qualidade, bons salários e benefícios", afirma. As obras da companhia siderúrgica que está sendo instalada no local já geraram 10 mil empregos. São operários da construção civil até engenheiros super especializados. No ano que vem, a empresa deve abrir mais sete mil vagas. "Nós já estamos providenciando o transfer de mudança das pessoas e outros atrativos que nós vamos compensar um pouco para pessoa vir trabalhar conosco”, afirma Júlio Castro, gerente de RH. Os salários são bons. Um soldador, por exemplo, chega a ganhar R$ 1,6 mil por mês. Cargos de gerência oferecem até R$ 12 mil por mês. "A remuneração está acima da média que é paga em outros mercados. Isso acaba atraindo profissionais de vários estados, de várias capitais, por conta até mesmo da qualidade de vida”, diz Antenor Tenório, diretor do SINE/IDT. Norte Três cidades do interior do Pará estão gerando mais vagas do que toda a Região Metropolitana de Belém. Desde o início da construção de Belo Monte, em 2011, os empregos se multiplicam. De janeiro a agosto, o município do sudoeste paraense gerou mais de 34 mil postos de trabalho. Segundo o Dieese, a oferta de emprego no interior do Pará está em alta há pelo menos três anos. Em 2013, a região chegou a superar a Grande Belém na geração de postos de trabalho. Das 400 mil vagas abertas em todo o estado, 250 mil foram preenchidas fora da Região Metropolitana. Apenas três municípios - Altamira, Parauapebas e Marabá – concentraram 40% das contratações. Nessas três cidades há grandes projetos nas áreas de mineração, energia e portuária, que somados aos setores de comércio e de serviços, abriram de janeiro a setembro deste ano 70 mil vagas para todos os níveis de qualificação profissional. Destas vagas, oito mil estão só nas obras de Belo Monte. O engenheiro civil Caio Pacheco Torres se formou na Universidade de São Paulo e conquistou o seu primeiro emprego em Belo Monte, onde recebe um salário líquido de mais de R$ 6 mil: "Acho que para sair da universidade nós buscamos desafios e aqui todo dia tem grandes. Você se sente motivado mesmo". Sul A cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, se transformou em uma importante cidade universitária e é a terceira cidade exportadora de cérebros, título que recebeu do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), por causa do número de estudantes formados que saem da cidade para trabalhar em todo o Brasil. Santa Maria só fica atrás de São Paulo e do Rio de Janeiro. Ao todo, são sete instituições de ensino superior em uma cidade de apenas 300 mil habitantes. A maior delas é a Universidade Federal que tem um orçamento três vezes maior do que o município inteiro. São quase 30 mil alunos. Em 2013, Santa Maria foi a quarta cidade gaúcha que mais gerou emprego: 2,8 mil, principalmente na prestação de serviços. Centro-Oeste No interior de Mato Grosso do Sul, as duas cidades com mais vagas abertas são Dourados e Três Lagoas. Nos últimos seis anos, Três Lagoas se tornou um pólo para a instalação de indústrias de papel e celulose. As duas maiores empresas da região empregam juntas mais de sete mil trabalhadores. A localização estratégica, na divisa com o estado de São Paulo, foi definitiva para atrair novos investidores. A indústria aquece a contratação no campo. A produção de mudas é um dos setores que mais geram empregos. O auxiliar de serviços gerais Márcio Fernandes chegou do Nordeste há quatro meses para trabalhar em um viveiro de eucalipto: “Não tem muito serviço lá no Piauí, por isso eu vim pra cá. Aqui tem muita oportunidade, bem diferente do Piauí". A 450 quilômetros de Três Lagoas fica Dourados, a segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, região onde o agronegócio é o forte da economia. Na região estão instaladas 16 usinas de açúcar e álcool. Elas processam mais de 80% da cana de açúcar produzida em Mato Grosso do Sul e juntas empregam mais de 16 mil trabalhadores. A íntegra na página do Jornal Hoje
  • A Advocacia-Geral da União (AGU) assegurou, na Justiça do Pará, a validade do licenciamento ambiental da Usina Hidrelétrica (UHE) de Belo Monte, no Rio Xingu/PA. Os procuradores federais comprovaram que as condicionantes para Licença Prévia estão sendo observadas corretamente e que não foi identificado qualquer prejuízo com o empreendimento, como tentou alegar o Ministério Público Federal (MPF). O MPF ajuizou Ação Civil Pública contra o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e a Norte Energia S/A, responsável pelo empreendimento, para anular a licença de instalação emitida pela autarquia ambiental e determinar o cumprimento de todas as condicionantes previstas na licença prévia antes de requerer novamente a licença de instalação para UHE, sob pena de multa diária. Atuando no caso, o Departamento de Contencioso da Procuradoria-Geral Federal (Depcont/PGF), a Procuradoria Federal Especializada junto ao Instituto (PFE/Ibama) e Procuradoria Federal do Estado do Pará (PF/PA) explicaram que a tese de que as condicionantes ambientais da licença prévia teriam que ser cumpridas antes da licença de instalação, não está de acordo com a legislação ambiental e nem com o dinamismo do processo de licenciamento ambiental. Segundo os procuradores, o Ibama analisou corretamente os impactos que irão ocorrer em todas as etapas da construção da hidrelétrica, determinando medidas que, necessariamente, deverão ser cumpridas ao longo do procedimento. De acordo com a AGU, outras decisões judiciais que discutiam o mesmo assunto já haviam confirmado a legalidade das condutas do Instituto. De acordo com a AGU, o artigo 19, I do Decreto 99.274/90, que regulamente a Lei da Política Nacional do Meio Ambiente (Lei 6.938/81), estabelece que a licença prévia deve contar os requisitos básicos a serem atendidos nas fases de localização, instalação e operação. Também ressaltou que o artigo 8º, I, da Resolução Conama nº 237/97 segue a mesma linha, determinando que as condicionantes serão atendidas nas próximas fases de implementação do empreendimento. A PFE/Ibama destacou que para o cumprimento das condicionantes ambientais, o Ibama realizou seminários, vistorias técnicas, elaborou programas ambientais e promoveu todos os ajustes necessários ao Plano Básico Ambiental, que orienta os processos sobre a UHE. Além disso, os procuradores reforçaram que o MPF não comprovou a existência de prejuízos ou irregularidades no processo de licenciamento da Usina de Belo Monte. A Seção Judiciária do Pará acatou os argumentos da AGU e julgou improcedentes os pedidos do MPF. "Não há que se olvidar que as ações antecipatórias, na seara do direito ambiental, encontram-se estritamente vinculadas ao princípio da precaução, isto é, têm por escopo a adoção de providências antecedentes aos impactos ambientais, as quais se mostrem suficientes para minimização ou não ocorrência", diz um trecho da decisão. O Depcont/PGF, a PFE/Ibama e a PF/PA são unidades da Procuradoria-Geral Federal, órgão da AGU. Ref.: ACP nº 0018026-35.2011.4.01.3900 - Seção Judiciária do Pará Fonte: Assessoria AGU
  • Na visita à Usina Hidrelétrica Belo Monte, a presidenta Dilma Rousseff se emocionou em ver tantas mulheres trabalhando na obra em diversas funções, incluindo cargos antes ocupados eminentemente por homens. “Meu coração fica cheio de alegria. Mas, acho que um dia haverá 50% de mulheres em obras como essa, porque mulher é competente tanto na Engenharia quanto em todas as áreas”, disse.“Não acredito que homens e mulheres sejam concorrentes. Nas atividades industriais e de infraestrutura do País, eles e elas cooperam. Agora, que gosto de ver mulher trabalhando nesta obra, eu gosto muito. Uma coisa que me emociona muito é que as mulheres estão nas mais variadas áreas. Elas tem funções técnicas na concretagem e na montagem”, declarou a presidenta. Atualmente 15% dos mais de 20 mil trabalhadores da UHE Belo Monte são mulheres trabalhando em funções administrativas e operacionais, incluindo operadoras de máquinas pesadas, pedreiras, ferreiras e outras profissões exercidas antes principalmente por homens.
  • Leia no site da Norte Energia. E confira também o Informe Especial de 4 anos clicando aqui.   
  • Uma atividade diferente marcou o início dos turnos de trabalho nesta terça-feira (22/7) nos canteiros de obras da Usina Hidrelétrica Belo Monte. Os primeiros 30 minutos foram dedicados à 1ª Parada de Segurança, atividade que reuniu todas as empresas prestadoras de serviços nas áreas de montagem, civil, consultoria, engenharia, supressão vegetal e resgate de fauna e flora. Palestras foram feitas por gestores, que abordaram o tema “Reflexão sobre segurança do trabalho: O que eu posso fazer para evitar acidentes”. O coordenador de Segurança do Trabalho da Norte Energia, Myron Tramontini, explicou que a atividade desta terça-feira está associada à retomada plena dos trabalhos proporcionada pelo fim do período de chuvas. “A importância de tirar esse tempo para pensar sobre segurança reside justamente em tornar o nosso ambiente de trabalho mais seguro, e os colaboradores desenvolverem a percepção dos riscos no seu local de trabalho.          
  • Desde a última quinta-feira (22/5), manifestantes indígenas bloqueiam os acessos aos canteiros de obra dos Sítios Belo Monte e Pimental.  A Transamazônica (BR-230) foi ocupada pelo grupo e três ônibus que transportavam trabalhadores do Consórcio Construtor Belo Monte foram depredados. O movimento surpreendeu a Norte Energia e  a Funai que, no dia anterior (21/5), haviam assinado o Termo de Compromisso reivindicado pelos indígenas. As atividades previstas neste documento serão referendadas pela Funai e acompanhadas por um Comitê Gestor formado por representantes das comunidades indígenas, da Norte Energia e do órgão indigenista. O Comitê vai avaliar os planos anuais de trabalho apresentados pela empresa, que também serão submetidos às comunidades indígenas. Respeito e diálogo permanentes com moradores e povos tradicionais da região do Xingu têm sido a tônica da Norte Energia, empresa responsável pela construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte. Qualquer atitude que contrarie esses princípios merece nosso veemente repúdio, a exemplo da tentativa de invasão ao Sítio Pimental por um grupo de indígenas armados,  ocorrida no último domingo (25/05). Leia mais aqui.
  • A notícia é da Agência Pará. Emater emite sem custo o CAR para propriedades de até quatro módulos fiscais Agricultores que possuem até quatro módulos fiscais de área podem procurar a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) para emitir, gratuitamente, o Cadastro Ambiental Rural (CAR) de suas propriedades. A emissão do CAR se tornou obrigatória em todo o País, após a publicação do Decreto 8.235, no último dia 5 de maio. Os agricultores têm até dois anos, a contar da data de publicação do decreto, para obter o documento.  No Pará, a emissão do CAR é obrigatória desde 2008. O Estado é um dos pioneiros na elaboração do documento, e se tornou referência nacional nas ações em defesa da agricultura familiar. A Emater foi a empresa pública que mais contemplou agricultores com o Cadastro, ultrapassando em maio 14 mil documentos emitidos.  Para a emissão do CAR, a Emater tem 300 técnicos capacitados e habilitados. “Estamos presente em todo o Pará, e o documento é emitido gratuitamente para os que têm até quatro módulos fiscais de área. O processo pode ser feito em qualquer um de nossos escritórios”, disse Cleide Amorim, presidente da Emater. A Emater emite em média mil Cadastros a cada mês. Para agilizar o processo, a empresa construiu o Sistema de Informações Geográficas e Ambientais (Siga), que permite a captação e o armazenamento de dados das propriedades no sistema of line, utilizando imagens recentes de alta resolução. Os 11 municípios que serão impactados diretamente pelas obras da Hidrelétrica de Belo Monte, na Região do Xingu, lideram a emissão do documento. Lá estão 60% dos cadastros emitidos pela Emater em todo o Pará. “Sem o Cadastro Ambiental o agricultor não pode comercializar carne, acessar financiamentos ou licenciar atividades”, ressaltou Jamerson Viana, geógrafo da Emater. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA) são parceiros no processo de emissão do documento.
  •  "Compromisso do advogado público é com seu papel social" O advogado-geral da União Luís Inácio Adams participou nesta segunda-feira (28/4) da abertura do V Seminário Regional sobre Advocacia Pública Federal, em São Paulo. Em seu discurso no evento, Adams elogiou o Anuário da Advocacia Pública do Brasil, publicado pela revista eletrônica Consultor Jurídico. Ele afirmou que a geração atual não conhece o Estado e a Constituição sem a AGU. Por isso, a nova publicação é necessária. “O Anuário já existe na Justiça e é um sucesso”, afirmou Adams. Para ele, uma das principais características da publicação é oferecer uma radiografia com a identificação, o reconhecimento e a “demonstração de qualidade presente na carreira”. “Nossa atenção e eterna vigilância tem que ser com o nosso papel social. No momento que uma instituição perde o senso de responsabilidade para com a democracia, para com o Estado, ela se torna menor”, afirmou. Reconhecendo papel contramajoritário que a AGU pode exercer, Adams disse que a AGU é necessária e isso a torna respeitada: “É esse reconhecimento que garante a implementação das políticas públicas. Nosso papel está nessa commodity que é a segurança de que o Estado é bem defendido”. O Anuário da Advocacia Pública do Brasil é um retrato dos integrantes das carreiras jurídicas de defesa do Estado no país. A publicação é a primeira radiografia completa de todos os ramos de defesa dos interesses estatais, com foco na advocacia da União. Há perfis detalhados das procuradorias da União e das procuradorias federais, que representam judicialmente as autarquias, de suas chefias e de seus membros. A publicação foi lançada com patrocínio da Petrobras, Caixa Econômica Federal, Norte Energia, Anpprev, Anpaf e Anajur e apoio dos Correios. Os seminários sobre a advocacia pública federal acontecem ainda em Porto Alegre (13 e 14 de maio), Rio de Janeiro (27 e 29 de maio) e Recife (3 e 4 de junho. Fonte: Consultor Jurídico  
  • Recursos naturais revertidos em riqueza e desenvolvimento, no mais das vezes, são percebidos como processos de exploração, apropriação sem limites e intervenções autoritárias do Estado e do capital, sem respeito às sociedades locais e ao meio ambiente. A Usina Hidrelétrica Belo Monte veio para mudar essa realidade e estabelecer novos parâmetros para empreendimentos que acarretem em intervenções similares. O Ministério Público Federal do Mato Grosso do Sul acaba de se manifestar pela realização de mais audiências públicas antes da aprovação de um projeto de mineração,em Corumbá, no Pantanal. Assim que a empresa anunciou o investimento de R$ 11,5 bi para ampliação de sua planta industrial no município, o MPF alertou para a necessidade de que o IMASUL (Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul) reproduza o processo realizado na região onde será instalada a UHE Belo Monte: audiências públicas com as comunidades direta e indiretamente afetadas, as prefeituras de Corumbá e Ladário e órgãos ambientais do Estado para que se avalie os impactos sobre a região, estabelecendo condicionantes que reduzam os impactos da obra e promovam o desenvolvimento local. O MPF ressaltou que, na UHE Belo Monte, empreendimento da Norte Energia, parte significativa do investimento de R$ 25 bilhões foi destinado para condicionantes (R$ 3,2 bilhões, o equivalente a 13% do total), enquanto que o projeto da mineradora dedica apenas 0,4% do total de seus investimentos às mitigações de impacto e aos benefícios sociais. O MPF ressaltou também as 4.100 moradias novas, escolas, postos de saúde, hospitais e as obras de saneamento básico que estão sendo realizados nas cinco cidades no entorno da UHE Belo Monte, tomando todo o processo como um exemplo a ser seguido em empreendimentos desse vulto. Poderíamos ainda acrescentar os estudos realizados antes da implementação, as parcerias com poderes públicos locais, o apoio a instituições acadêmicas para estudos sobre o bioma local, as ações de preservação e reflorestamento e, mais que isso, o apoio a produção extrativista, agrícola e a pequenos empreendimentos que promovam a sustentabilidade socioambiental e o desenvolvimento regional. Para ler mais sobre o assunto, acesse a página do Ministério Público Federal - Procuradoria da República em Mato Grosso do Sul e o FatimaNews: MPF defende realização de audiências antes de implantação de “Belo Monte” do Pantanal   Para saber mais sobre as condicionantes que acompanham a UHE Belo Monte: Xingu está vencendo a malária Mais saúde para os moradores do Jatobá UHE Belo Monte é mais educação no Xingu! Região do Xingu começa a ser reflorestada com 23 mil mudas nativas A nova imagem do antigo lixão de Altamira Saneamento para região do Xingu Dona Maria volta a estudar e agora tem transporte gratuito Nove mil mudas frutíferas para aldeias indígenas Qualidade reconhecida Projeto preserva cerca de 190 mil espécies da fauna e flora da região do Xingu Norte Energia Apresenta: Novos bairros de Altamira Norte Energia investiu mais R$ 65 milhões em segurança pública na Região do Xingu Norte Energia Apresenta: Saúde na região do Xingu Balanço de 2013 aponta grandes investimentos na saúde da região do Xingu Projeto da Norte Energia preserva flora na região do Xingu Aterro sanitário é entregue ao município de Vitória do Xingu  
  • A Norte Energia promoveu uma cerimônia religiosa para as famílias beneficiadas pelo Projeto de Relocação de Cemitérios localizados na zona rural dos municípios de Altamira e Vitória do Xingu, na área de influência da UHE Belo Monte. A celebração concluiu a relocação para o novo campo santo, o Cemitério Municipal São Sebastião, localizado no Km 4 da BR-230, a Transamazônica, e foi conduzida pelo Padre Miguel, da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.  O projeto iniciou em outubro de 2011 com a finalidade de remover adequadamente  os restos mortais sepultados em cemitérios irregulares, situado nas áreas rurais interferidas pelos reservatórios da Usina Hidrelétrica Belo Monte no Xingu demais estruturas do empreendimento. Nos 43 cemitérios identificados, a maioria das sepulturas já não apresentava nenhum vestígio de restos mortais. Do total, foram exumadas nove sepulturas, sendo os restos mortais encaminhados para o novo cemitério. A agricultora Teodora Sousa Moreira, 79 anos, não escondeu a emoção ao falar do sobrinho Renato Martins, falecido em setembro de 1996, cujos restos mortais foram realocados para o cemitério de Altamira. “Estou feliz em poder ter um local para homenagear o meu sobrinho da maneira que ele merece”, comenta. O sacerdote responsável pela celebração ressaltou a importância de se manter viva na memória dos entes que partiram. “Esse é um momento de reflexão e busca pelo passado e pela memória daqueles que nos deixaram e que hoje possuem um local digno para descasar”, comentou. Segundo a superintendente do Meio Socioeconômico, Cassandra Molisani, o projeto foi muito mais do que uma simples liberação de área. “O Projeto de Relocação de Cemitérios, confere legalidade para uma situação que estava irregular perante a Lei e o que é mais importante, demonstra respeito para com as famílias, que tiveram a oportunidade de acompanhar todo o processo e agora tem um local para lembrar e orar pelos seus entes queridos.”, diz ele. O trabalho de relocação dos cemitérios foi acompanhado de perto pela agente de fiscalização de vigilância sanitária de Altamira, Islene Januário, que parabeniza a empresa pelo trabalho realizado junto às famílias da zona rural. A cerimônia religiosa ocorreu na ultima quinta-feira, 23.











© Desenvolvido por santafédigital. Uma empresa do grupo santafé.