en     pt
notícias >
p√°gina 1 - 33
  • No¬†segundo semestre deste ano, Altamira ganha seis escolas novas, mobiliadas e equipadas, que beneficiar√£o 3.290 alunos. √Č mais uma das a√ß√Ķes previstos no Projeto B√°sico Ambiental da Usina Hidrel√©trica Belo Monte, compromisso cumprido pela Norte Energia.As escolas dos bairros S√£o Joaquim e Jatob√° foram as primeiras a serem conclu√≠das. No S√£o Joaquim, o estabelecimento √© direcionado √† Educa√ß√£o Infantil e ao Ensino Fundamental, enquanto no Jatob√° √© voltado ao Ensino Fundamental e M√©dio. Ainda no bairro Jatob√° foi constru√≠da uma creche, com capacidade para 100 alunos. J√° nos bairros √Āgua Azul, Casa Nova e Laranjeiras os estabelecimentos s√£o destinados √† Educa√ß√£o Infantil e Fundamental. A¬†Norte Energia tamb√©m √©¬†respons√°vel pela aquisi√ß√£o de 1.939 carteiras escolares, 99 arm√°rios de a√ßo, 140 computadores e 70 bancadas para laborat√≥rio de inform√°tica - equipamentos e mobili√°rio distribu√≠dos entre os seis estabelecimentos. Para assegurar o conforto t√©rmico dos alunos, tamb√©m foram adquiridos 174 condicionadores de ar. Leia mais sobre as a√ß√Ķes de Educa√ß√£o¬†aqui.
  • O munic√≠pio de Altamira, na √Ārea de Influ√™ncia Direta da Usina Hidrel√©trica Belo Monte, recebeu, no dia 19/05, um novo Centro de Apoio em Diagn√≥stico, reformado e ampliado com recursos da Norte Energia. Na cerim√īnia de reinaugura√ß√£o, moradores, profissionais da sa√ļde e autoridades locais comemoraram a entrega da obra e visitaram as novas instala√ß√Ķes do pr√©dio.Com uma √°rea total de 543 m¬≤, a nova unidade de sa√ļde passar√° a ser refer√™ncia em realiza√ß√£o de exames e atendimento preventivo na regi√£o. A reforma do Centro Diagn√≥stico Nazira Mansour Abucater foi um projeto financiado pelo Plano de Desenvolvimento Regional Sustent√°vel do Xingu ‚Äď PDRSX, com recursos da Norte Energia. A reforma e readequa√ß√£o do pr√©dio vai possibilitar a oferta de um maior n√ļmero de exames, com mais agilidade e conforto, fortalecendo as a√ß√Ķes de diagn√≥stico preventivo, com enfoque na preven√ß√£o do c√Ęncer do colo uterino e c√Ęncer de mama. No novo espa√ßo ser√£o ofertados exames como teste do pezinho, fluxograma/PCCU, raio X, ultrassonografia, urian√°lise, microbiologia, bioqu√≠mica e tratamento de tuberculose. Com um investimento de R$ 714.460, a obra foi proposta pela prefeitura do munic√≠pio, atrav√©s de seus representantes na C√Ęmara T√©cnica de Sa√ļde do Comit√™ Gestor do PDRS do Xingu. Somado a essa obra, a Norte Energia j√° investiu, atrav√©s do PDRS do Xingu, mais de R$ 37,9 milh√Ķes em 62 projetos de Sa√ļde nas √°reas de influ√™ncia direta e Indireta de Belo Monte.
  • A Universidade Federal do Par√° (UFPA) divulgou a data do primeiro vestibular de Medicina em Altamira, programada para os dias 5 de junho e 3 e 31 de julho deste ano. O an√ļncio foi comemorado por centenas de alunos da Regi√£o Xingu, que h√° tempos aguardavam por essa not√≠cia. ‚ÄúAgora eu posso dizer que a minha expectativa para fazer o vestibular j√° tem data marcada‚ÄĚ, afirmou o estudante Vitor Oliveira, 23, morador de Vit√≥ria do Xingu, munic√≠pio da √Ārea de Influencia Direta (AID) da Usina Hidrel√©trica Belo¬† Monte.    Com investimento de R$ 1.894.671,54, o pr√©dio da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Par√° √© uma antiga demanda da regi√£o, que se tornou realidade atrav√©s de parceria entre a Norte Energia e a UFPA, atrav√©s do PDRSX (Plano de Desenvolvimento Regional Sustent√°vel do Xingu). O primeiro vestibular de Medicina da regi√£o consistir√° em uma prova objetiva de conhecimentos gerais, com 45 quest√Ķes abrangendo conhecimento de L√≠ngua Portuguesa, Matem√°tica, Hist√≥ria, Geografia e Literatura. A segunda etapa ter√° uma prova objetiva espec√≠fica com 45 quest√Ķes de Biologia, F√≠sica e Qu√≠mica. E a terceira consistir√° em uma prova de reda√ß√£o. Todas as etapas ser√£o eliminat√≥rias e classificat√≥rias ¬†
  • Um fim de tarde de uma quarta-feira ensolarada poderia ser um dia qualquer para a fam√≠lia de Francisco, mas n√£o foi. O agente de seguran√ßa Francisco Lopes, 48, tirou a tarde de folga para levar a pequena Tha√≠s, de 6 anos, para se divertir na nova praia da orla de Altamira. Foi dia de brincar e mostrar um novo entardecer √† filha, com amor e muito banho de rio. Quando perguntada se gostou do seu dia, Tha√≠s responde sem titubear que ‚ÄúT√° sendo maravilhoso!‚ÄĚ.Entre um mergulho e outro, o maranhense de Imperatriz, radicado na cidade h√° 14 anos, conta que √© uma alegria ter praia o ano todo para aproveitar. ‚ÄúEntre as muitas coisas boas que a Norte Energia fez, essa √© uma das que mais gostei. Antes dessa obra, que muita gente nem sabia que a engenharia conseguiria fazer, o povo da cidade precisava pegar carro e barco pra aproveitar praias distantes e somente no ver√£o. Mas isso mudou‚ÄĚ, observou. A praia da Orla de Altamira impressiona Francisco pela beleza. Ele j√° teve oportunidade de trabalhar no Estado do Amazonas, na Guiana Francesa e no Suriname, mas nunca havia visto de perto uma estrutura t√£o bem feita e ampla, que deu oportunidade para que pessoas da cidade e visitantes desfrutem das belezas naturais do Rio Xingu. ‚ÄúQuando a popula√ß√£o ganha um local como esse tem obriga√ß√£o de cuidar‚ÄĚ, opinou.
  • Os moradores do Jatob√°, em Altamira, t√™m agora um novo espa√ßo para reuni√Ķes da comunidade, realiza√ß√£o de capacita√ß√Ķes, de gera√ß√£o de renda e eventos sociais com a inaugura√ß√£o do Barrac√£o de Uso M√ļltiplo, no bairro. O Barrac√£o tem cerca de 700 m¬≤ de √°rea constru√≠da, al√©m de √°rea livre ao redor. Os demais bairros da cidade constru√≠dos pela Norte Energia tamb√©m ter√£o espa√ßo semelhante. As edifica√ß√Ķes j√° est√£o em obra. No Jatob√°, o pr√©dio comporta 500 pessoas na √°rea interna e a √°rea externa tamb√©m pode ser usada pela popula√ß√£o. Agora os moradores poder√£o realizar atividades coletivas, como eventos, exposi√ß√Ķes e feiras. Est√£o dispon√≠veis no espa√ßo cozinha com dep√≥sito de alimentos; dep√≥sito de materiais; banheiros ‚Äď masculino, feminino e para pessoas especiais. ¬†A inaugura√ß√£o no Jatob√° ocorreu no dia 27 de fevereiro e o Barrac√£o ser√° administrado pela Associa√ß√£o de Moradores.
  • Ter computador e acesso √† internet em casa, o que pra muita gente √© comum, para Fernanda Portugal n√£o √©. Adolescente altamirense de 16 anos, ela √© uma entre as centenas de pessoas formadas pelo curso de Inform√°tica B√°sica, oferecido pela Norte Energia, atrav√©s do Telecentro em Altamira.  A estudante relata que passou a ter contato di√°rio com a web desde 2015, quando a unidade foi implantada no munic√≠pio. ‚ÄúGostei muito de aprender a formatar meus textos. Venho aqui todo dia pra fazer trabalhos escolares. Pra mim, tudo mudou porque n√£o tenho computador em casa, minha m√£e n√£o pode me dar essas coisas por n√£o ter dinheiro‚ÄĚ, conta. O pr√≥ximo passo de Fernanda √© se cadastrar no programa Jovem Aprendiz, que oferece oportunidade para jovens brasileiros a conseguir o primeiro emprego, dentro de empresas p√ļblicas ou privadas no pa√≠s. Ela ficou sabendo do programa atrav√©s da internet, durante seus acessos no Telecentro. As unidades oferecem cursos de inform√°tica b√°sica a todas as faixas et√°rias, a partir dos 7 anos de idade, al√©m do acesso di√°rio √† internet, com dura√ß√£o de uma hora por pessoa. S√£o oferecidos √† comunidade acesso a contas de servi√ßos p√ļblicos para emiss√£o e segunda via de documentos e ainda confec√ß√£o de curr√≠culos. Os usu√°rios podem imprimir os documentos que precisam no Telecentro, com apoio de uma monitora.
  • ‚ÄúEle acorda seis horas da manh√£ e vai l√° pra fora. J√° perdi o marido para as plantas‚ÄĚ. A reclama√ß√£o da artes√£ Maria Alac√≠dia, 50 anos, √© feita em tom de brincadeira. Ela e o tatuador e tamb√©m artes√£o, Ant√īnio Francisco Silva ,41, coordenam o n√ļcleo de Gera√ß√£o de Renda do Projeto de Repara√ß√£o Urbana, que comp√Ķe o Projeto B√°sico Ambiental (PBA) da Norte Energia. Vivendo no Jatob√° h√° quase dois anos o casal mant√©m, no quintal de casa, um viveiro que serve a outros moradores do bairro.O Projeto, que atende pedido da popula√ß√£o, proporciona um complemento das atividades j√° exercidas. Reunida, a comunidade aprende a plantar com o apoio de t√©cnicos. Da terra, onde √© utilizado adubo org√Ęnico, surgem berinjela, pimentas de cheiro e malagueta, couve, alface e cheiro verde. Seu Ant√īnio Francisco arrisca mais - ‚ÄúCom esse incentivo, j√° compramos sementes por conta pr√≥pria‚ÄĚ. Com a iniciativa v√£o surgindo outras op√ß√Ķes como o pepino, o maxixe, o tomate e o quiabo, al√©m do mastruz, hortel√£ e arruda. ‚ÄúTem gente que j√° t√° produzindo e vendendo pra supermercado‚ÄĚ, complementa o coordenador. Ele explica que em breve os produtos ser√£o comercializados em uma feira no pr√≥prio bairro, onde ser√° constru√≠do um Barrac√£o de Uso M√ļltiplo (BUM). O casal quer aproveitar o espa√ßo para vender brincos, colares, quebra-cabe√ßas, bordados e pinturas. Na casa da vizinha Joiciane Santos a pr√°tica foi reproduzida. L√°, o piment√£o e a abobrinha fazem diferen√ßa na alimenta√ß√£o di√°ria. ‚ÄúT√° seis reais o quilo do quiabo. A gente j√° faz uma economia quando planta‚ÄĚ, garante. Informa√ß√£o confirmada pelo seu Ant√īnio Francisco: ‚ÄúJ√° fizemos os c√°lculos. Vamos economizar mais de 300 reais por m√™s e √© tudo natural, sem qu√≠mica‚ÄĚ. Al√©m de fazer bem para o bolso, a produ√ß√£o dos viveiros leva melhorias para a qualidade de vida e, de acordo com quem se beneficia, at√© a alimenta√ß√£o ganha outro cheiro e fica mais saborosa.
  • Os alunos da Escola Polivalente de ‚Ä™‚ÄéAltamira receberam a visita inaugural do Projeto Conhe√ßa Belo Monte nas Escolas. Alunos das turmas de ‚ÄéEnsino M√©dio participaram de uma gincana, onde conheceram um pouco mais sobre o empreendimento. A a√ß√£o teve in√≠cio no dia 5 de novembro e percorrer√° dez estabelecimentos de ensino at√© o fim do m√™s.Com exibi√ß√£o de v√≠deos, promo√ß√£o de debates, palestras, din√Ęmicas, jogos e brincadeiras, a a√ß√£o vai informar a comunidade escolar, esclarecer d√ļvidas e estabelecer novos canais de comunica√ß√£o com a popula√ß√£o. Al√©m do Conhe√ßa Belo Monte nas Escolas, o projeto Conhe√ßa Belo Monte, que proporciona visitas monitoradas aos principais canteiros de obras dos s√≠tios Belo Monte, Pimental, Canal de Deriva√ß√£o e ao Centro de Estudos Ambientais da empresa, continua. O passeio √© feito em um √īnibus com equipe capacitada para explicar os v√°rios aspectos do empreendimento. Para participar, √© necess√°rio agendamento atrav√©s do e-mail conhecabelomonte@norteenergiasa.com.br ou pelo telefone (93) 98809-2062.
  •   O n√ļmero de fam√≠lias beneficiadas pelo programa de Assessoria T√©cnica, Social e Ambiental (ATES) da Norte Energia saltou de 9 para aproximadamente 250 em menos de quatro anos. A informa√ß√£o √© da Ger√™ncia Socioambiental e de Reloca√ß√£o Rural da empresa, que j√° destinou cerca de R$ 1,1 milh√£o para a√ß√Ķes do programa. A iniciativa, prevista no Projeto de Apoio √† Pequena Produ√ß√£o e √† Agricultura Familiar tem transformado para melhor a vida de centenas de agricultores da regi√£o atrav√©s do aprimoramento de t√©cnicas de plantio de mandioca, hortali√ßas, frut√≠feras e apicultura. Desenvolvido em parceria com a Empresa de Assist√™ncia T√©cnica e Extens√£o Rural do Par√° (Emater), a ATES vem contribuindo para o aumento da produtividade e renda da agricultura familiar da regi√£o com transfer√™ncia de tecnologias, fortalecimento das principais cadeias produtivas, capacita√ß√£o, incentivo ao desenvolvimento de novas culturas e uso sustent√°vel dos recursos naturais. Morador da comunidade Travess√£o Gorgulho da Rita, na regi√£o do Assurini, em Altamira, o produtor rural Merenilton Gomes da Silva, 29 anos, √© um dos centenas de agricultores atendidos pelo projeto. Beneficiado pelo ATES desde 2012, o produtor de cacau afirma que a chegada do projeto o possibilitou a desenvolver outras culturas que ele jamais imaginava trabalhar. ‚ÄúNunca pensei em lidar com horta. Estou aprendendo‚ÄĚ, conta Merenilton, que chegou ao local em 2012, ap√≥s ser beneficiado pelo projeto de realoca√ß√£o assistida (carta de cr√©dito) da Norte Energia. Ap√≥s a assist√™ncia rural fornecida pela empresa, o agricultor ampliou sua √°rea de atua√ß√£o e agora al√©m de produ√ß√£o de hortali√ßas, ele se prepara para trabalhar com cria√ß√£o de aves na Unidade Demonstrativa dos projetos de Apoio √† Pequena Produ√ß√£o e Agricultura Familiar e de Fomento √† Produ√ß√£o de Hortigranjeiros desenvolvidos pela Norte Energia O programa atende agricultores beneficiados pelo projeto de reloca√ß√£o assistida (carta de cr√©dito) da Norte Energia e fam√≠lias transferidas para os Reassentamentos Rurais coletivos (RRC) ‚Äď √°rea destinada aos moradores de comunidades rurais influenciadas pelo reservat√≥rio da Usina Hidrel√©trica Belo Monte.  
  • ‚ÄúRealmente √© impressionante o n√≠vel de desenvolvimento que a usina de Belo Monte leva √† cidade de Altamira e toda a regi√£o. H√° uma preocupa√ß√£o muito grande em beneficiar a popula√ß√£o, ent√£o, al√©m da grande obra que vai beneficiar todo o pa√≠s, o cons√≥rcio teve a preocupa√ß√£o tamb√©m de beneficiar a comunidade, isso est√° claro em Altamira, √© uma verdadeira revolu√ß√£o o que est√° sendo feito na cidade em infraestrutura com asfaltamento, constru√ß√£o de pontes, alargamento de ruas, a constru√ß√£o de um parque maravilhoso que as pessoas v√£o ter condi√ß√Ķes novas de lazer,¬† conjuntos habitacionais que s√£o melhores do que qualquer conjunto existente no pa√≠s, um hospital moderno digno de qualquer capital, uma esta√ß√£o de tratamento de esgoto que √© talvez a mais moderna do pa√≠s, enfim, s√£o realmente marcos, aqueles diques para os barcos, ent√£o h√° uma preocupa√ß√£o muito grande em todos os aspectos com¬† o dia-a-dia da popula√ß√£o de Altamira‚ÄĚ, declarou Rodrigo de Castro, presidente da Comiss√£o de Minas e Energia.Ele e o deputado Jo√£o Carlos Bacelar (PR/BA), tamb√©m membro da Comiss√£o, conheceram as obras da Usina Hidrel√©trica Belo Monte e as a√ß√Ķes e servi√ßos que beneficiam os munic√≠pios da √°rea de influ√™ncia do empreendimento. A visita ocorreu nos dias 22 e 23 de outubro.
notícias >
p√°gina 1 - 33











© Desenvolvido por santafédigital. Uma empresa do grupo santafé.