en     pt
notícias >
página 2 - 114
  • Morador do Reassentamento Rural Coletivo (RRC) construído pela Norte Energia, o agricultor Manoel Batista, 53, comemora a primeira colheita do viveiro coletivo do local. O canteiro funciona como alternativa para o desenvolvimento sustentável e econômico da área. A ação é parte do Projeto Básico Ambiental (PBA) da UHE Belo Monte e conta com o apoio do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio), que contribui com a implantação dos Sistemas Agroflorestais (SAF) em cada lote desde o começo do projeto.“A colheita das primeiras plantações do viveiro era algo muito esperado por nós. Colher um pouquinho de cada coisa que foi plantada aqui como alface, limão, banana, feijão, é uma graça muito grande”, afirma Manoel. Todas as espécies disponíveis no viveiro comunitário são produzidas no Centro Estudos Ambientais (CEA) da Norte Energia. Com capacidade para produzir 15 mil mudas, o local é referência para produção de mudas e treinamentos de técnicas e procedimentos agrícolas. Destinado aos moradores de comunidades rurais influenciadas pelos reservatórios da Usina Hidrelétrica Belo Monte, o RRC agrega 28 famílias, cada uma com casas construídas em lotes cercados, de 75 hectares de área total e 15 para cultivo, água potável, energia elétrica e fossa séptica. Todos os moradores do reassentamento foram beneficiados com o preparo de suas terras para o plantio.
  • Um fim de tarde de uma quarta-feira ensolarada poderia ser um dia qualquer para a família de Francisco, mas não foi. O agente de segurança Francisco Lopes, 48, tirou a tarde de folga para levar a pequena Thaís, de 6 anos, para se divertir na nova praia da orla de Altamira. Foi dia de brincar e mostrar um novo entardecer à filha, com amor e muito banho de rio. Quando perguntada se gostou do seu dia, Thaís responde sem titubear que “Tá sendo maravilhoso!”.Entre um mergulho e outro, o maranhense de Imperatriz, radicado na cidade há 14 anos, conta que é uma alegria ter praia o ano todo para aproveitar. “Entre as muitas coisas boas que a Norte Energia fez, essa é uma das que mais gostei. Antes dessa obra, que muita gente nem sabia que a engenharia conseguiria fazer, o povo da cidade precisava pegar carro e barco pra aproveitar praias distantes e somente no verão. Mas isso mudou”, observou. A praia da Orla de Altamira impressiona Francisco pela beleza. Ele já teve oportunidade de trabalhar no Estado do Amazonas, na Guiana Francesa e no Suriname, mas nunca havia visto de perto uma estrutura tão bem feita e ampla, que deu oportunidade para que pessoas da cidade e visitantes desfrutem das belezas naturais do Rio Xingu. “Quando a população ganha um local como esse tem obrigação de cuidar”, opinou.
  • O operador de motoniveladora Daniel Castro Souza Silva, 31 anos, não esconde o orgulho de trabalhar no canteiro de obras de Belo Monte. “Para mim isso é uma das maiores experiências que eu já tive na vida. Vou ter uma satisfação danada de contar para os meus filhos e netos que eu ajudei a construir uma das maiores hidrelétricas do mundo”, afirma.Natural da cidade de Novo Repartimento, no sudeste do Pará, Daniel chegou em Altamira no ano de 2014 e desde então não parou de acumular experiências profissionais. Técnico em segurança do trabalho, o operário revela que já fez diversos cursos de qualificação. A capacitação oferecida no canteiro de obras foi fundamental para ele mudar de função e ocupar um cargo que exerce atualmente. “Eu cheguei aqui como auxiliar operacional e graças aos cursos de qualificação, eu mudei de cargo e hoje trabalho como operador de motoniveladora. Um serviço que eu, particularmente, gosto muito de fazer”, conta o operário, que já faz planos para trabalhar em outra hidrelétrica.
  • Altamira recebeu da Norte Energia 250 mudas de castanheira, que serão plantadas ao redor do Aterro Sanitário do município e servirão como cinturão verde no local. A doação das mudas aconteceu no dia 24 de março deste ano. É também em atendimento aos termos de Compromisso das Autorizações para Supressão Vegetal (ASV), emitidas pela Secretaria de Gestão Municipal de Meio Ambiente e Turismo (SEMAT) para construção dos Reassentamentos Urbanos Coletivos (RUC’s) Jatobá, Laranjeiras, Água Azul, São Joaquim e Casa Nova. A doação compensou a supressão de Castanheiras no período da implantação dos novos bairros. O Termo de Compromisso entre a Norte Energia e o Município previa a execução do plantio do triplo de castanheiras para cada árvore suprimida dessa espécie. Como a castanheira é uma espécie inadequada para áreas densamente povoadas devido ao porte da árvore, além do risco com a queda de seus frutos e dela própria, houve um consenso entre a SEMAT e a Norte Energia em receber as mudas dessa espécie e plantá-las em formato de cinturão verde na área do Aterro Sanitário. A responsabilidade da Norte Energia contemplava apenas cerca de 75 mudas, mas com o objetivo de contribuir com a reposição florestal da região, foi possível disponibilizar um número maior que o esperado para a realização do atendimento ao Termo de Compromisso e doação das mudas.
  • De Pedreiro a agricultor, na nova casa, Pedro Monteiro acorda cedo para olhar a horta. “Nunca pensei que ia aprender. Mas, virou um hábito”, conta. Aos 72 anos, ele passou boa parte da vida fazendo fundações de concreto e subindo paredes de tijolos. Há pouco mais de um ano, aprendeu a cultivar, com as ações dos projetos da Norte Energia que recompõem os modos de vida nas comunidades urbanas e rurais do entorno da Usina Hidrelétrica Belo Monte.    Pedro mostra as folhagens e leguminosas que colheu com orgulho. Coentro, alface, abobrinha, tudo veio do fundo do quintal de sua casa, no bairro Casa Nova. “É uma renda a mais. Eu consumo e vendo também entre os vizinhos”, conta o novo agricultor.   Ação prevista do Projeto Básico Ambiental (PBA) de Belo Monte, os projetos de recomposição dos modos de vida das comunidades abrangem os municípios de Altamira, Vitória do Xingu, Brasil Novo, Anapu, Senador José Porfírio e Medicilândia.   Além de contribuir com as técnicas agrícolas, que podem garantir alimento e gerar renda, o principal objetivo é reforçar os laços comunitários e disseminar conhecimento de forma coletiva entre moradores que saíram dos seus locais de origem devido à formação dos reservatórios da usina.
  • A Norte Energia S.A, empresa responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica Belo Monte, em razão da citação do empreendimento em depoimento de delação premiada, vem uma vez mais prestar os seguintes esclarecimentos: A Norte Energia S.A venceu o leilão público, realizado em 20 de abril de 2010, para construção e operação da Usina Hidrelétrica Belo Monte. A proposta vencedora para o leilão foi de R$ 77,97 por MW/h em valores da época, proposta que contempla 70% da energia a ser gerada por Belo Monte. Outros 10% da energia a ser gerada também têm preços previamente estabelecidos e se destinam a autoprodutores. Ressalte-se que a proposta ofertada pela Norte Energia apresentava um deságio de 6% em relação à tarifa-teto definida para o leilão, de R$ 83,00, que fora referendada pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A Norte Energia não tem nenhuma empresa ligada ao ramo da construção civil entre seus acionistas. Os acionistas da Norte Energia são o grupo Eletrobrás, (além da Eletrobrás, Chesf e Eletronorte), Fundos de Previdência Complementar Petros e Funcef; Neoenergia; Cemig: Aliança Norte Energia (Vale e Cemig); Sinobrás, e J. Malucelli Energia. A empresa adota padrões rigorosos de gestão e implementa constantes controles e melhorias em seus processos. Contratos e pagamentos passam por criteriosa análise de auditores internos e a empresa se submete a auditorias periódicas de auditores independentes e dos agentes financeiros da UHE Belo Monte. Ressalte-se que todos os relatórios da empresa publicados até agora foram aprovados sem ressalvas. Além das normas internas de gestão e de conduta, o valor da tarifa vencedora do leilão serve de fator balizador dos investimentos necessários para a construção da UHE Belo Monte. Considerando que a proposta vencedora não é passível de reajuste, somente de correção monetária para atualização do valor ofertado, se aquele teto não for observado para os investimentos, o empreendimento certamente se inviabiliza. Com praticamente todas as obras civis concluídas e a totalidade dos equipamentos adquiridos, o orçamento da UHE Belo Monte segue rigorosamente dentro do previsto. Além da arrojada obra de engenharia que representa Belo Monte, o empreendimento propiciou também uma significativa melhoria da qualidade de vida para os cinco municípios da Área de Influência Direta de Belo Monte. Juntos, receberam cerca de R$ 3,7 bilhões de investimentos, em valores atualizados, nas áreas de educação, saúde, habitação, saneamento e segurança pública, dentre outros. O mesmo ocorre com 34 aldeias indígenas da região, que recebem investimentos para construção de casas, casas de farinha, unidades básicas de saúde, escolas, sistemas de água tratada e campos de pouso, dentre outros. Neste momento, a empresa está em fase final de testes para pôr em operação sua primeira turbina, iniciando a geração comercial de Belo Monte, um marco incontestável para a engenharia brasileira. Finalmente, a Norte Energia S.A lamenta que há dois anos a construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte vem sendo citada em notícias levianas sem apresentar provas ou provada sequer uma evidência de irregularidades na execução da obra. NORTE ENERGIA S.A
  • Os moradores do Jatobá, em Altamira, têm agora um novo espaço para reuniões da comunidade, realização de capacitações, de geração de renda e eventos sociais com a inauguração do Barracão de Uso Múltiplo, no bairro. O Barracão tem cerca de 700 m² de área construída, além de área livre ao redor. Os demais bairros da cidade construídos pela Norte Energia também terão espaço semelhante. As edificações já estão em obra. No Jatobá, o prédio comporta 500 pessoas na área interna e a área externa também pode ser usada pela população. Agora os moradores poderão realizar atividades coletivas, como eventos, exposições e feiras. Estão disponíveis no espaço cozinha com depósito de alimentos; depósito de materiais; banheiros – masculino, feminino e para pessoas especiais.  A inauguração no Jatobá ocorreu no dia 27 de fevereiro e o Barracão será administrado pela Associação de Moradores.
  • No dia Internacional da Mulher, a Norte Energia homenageia todas as trabalhadoras que fazem e fizeram história na Amazônia. Em especial, a todas as mulheres que constroem e colaboram para essa grandiosa e importante obra para o Brasil. Aqui, a presença das mulheres na construção e montagem da Usina Hidrelétrica Belo Monte é marcante. Elas estão em todas as áreas do empreendimento. Operam máquinas, cuidam do meio ambiente e tornam o trabalho mais justo. Parabéns a todas as mulheres! Assista ao vídeo: [youtube_sc url="https://www.youtube.com/watch?v=3NruiYOZVI4&feature=youtu.be"]    
  • Ter computador e acesso à internet em casa, o que pra muita gente é comum, para Fernanda Portugal não é. Adolescente altamirense de 16 anos, ela é uma entre as centenas de pessoas formadas pelo curso de Informática Básica, oferecido pela Norte Energia, através do Telecentro em Altamira.  A estudante relata que passou a ter contato diário com a web desde 2015, quando a unidade foi implantada no município. “Gostei muito de aprender a formatar meus textos. Venho aqui todo dia pra fazer trabalhos escolares. Pra mim, tudo mudou porque não tenho computador em casa, minha mãe não pode me dar essas coisas por não ter dinheiro”, conta. O próximo passo de Fernanda é se cadastrar no programa Jovem Aprendiz, que oferece oportunidade para jovens brasileiros a conseguir o primeiro emprego, dentro de empresas públicas ou privadas no país. Ela ficou sabendo do programa através da internet, durante seus acessos no Telecentro. As unidades oferecem cursos de informática básica a todas as faixas etárias, a partir dos 7 anos de idade, além do acesso diário à internet, com duração de uma hora por pessoa. São oferecidos à comunidade acesso a contas de serviços públicos para emissão e segunda via de documentos e ainda confecção de currículos. Os usuários podem imprimir os documentos que precisam no Telecentro, com apoio de uma monitora.
  • O olhar de surpresa da colaboradora da Norte Energia, Luciana Costa, ao ver pela primeira vez o canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Belo Monte revela o quanto ela ficou encantada com o tamanho e a complexidade do empreendimento. Analista de projetos da Superintendência de Assuntos Indígenas (SAI) da empresa, a funcionária aproveitou a visita promovida pelo Projeto Conheça Belo Monte, no último sábado, 27/02, para ver de perto a obra que há tempos sonhava em conhecer.Apesar de já trabalhar a sete meses na concessionária responsável pela construção e operação da maior hidrelétrica 100% nacional do país, Luciana ainda não tinha visto de perto as obras do empreendimento. “É uma obra de engenharia espetacular. Não tem como não ficar seduzida. Uma coisa é você ler ou ver fotos e vídeos sobre o projeto. Outra coisa é acompanhar isso de perto, ao vivo. É encantador”, afirma. Durante as quase cinco horas de excursão destinada exclusivamente aos colaboradores da Norte Energia, a funcionária aproveitou para tirar dúvidas com os monitores do projeto e registrar todos os momentos do passeio. “Ter a oportunidade de acompanhar a construção dessa obra é um privilégio. Por isso faço questão de fazer foto de tudo. Quero falar para os meus filhos e netos que eu também ajudei a construir essa história”.  
notícias >
página 2 - 114











© Desenvolvido por santafédigital. Uma empresa do grupo santafé.