en     pt
Norte Energia Vídeos
Belo Monte tem novo vídeo
Norte Energia, Vídeos
Postado em 13.04.2015

O novo vídeo institucional da Usina Hidrelétrica Belo Monte está disponível no Youtube. Nele, é possível compreender a magnitude da obra da maior hidrelétrica 100% nacional em construção no rio Xingu, no Pará, e os benefícios que os investimentos socioambientais estão trazendo à região.

A diversidade humana, de vivências e expectativas de quem trabalha nos quatro canteiros de obra também está nos sete minutos e 12 segundos do audiovisual. Ele traz informações atualizadas sobre o empreendimento, iniciado em junho de 2011 com previsão de conclusão para janeiro de 2019.

Belo Monte, atualmente, está com mais de 75% das obras civis concluídas. Tem em andamento, ainda, a montagem eletromecânica com a instalação de peças importantes nas primeiras quatro turbinas da Casa de Força Principal, no sítio Belo Monte.

A Usina vai gerar 11.233 MW para beneficiar 60 milhões de pessoas em 17 estados, além de garantir investimentos de R$ 3,7 bilhões em ações socioambientais para 11 municípios da área de influência direta e indireta do empreendimento, incluindo o pioneiro Projeto Básico Ambiental de Componente Indígena (PBA-CI).

  • Convênio com a Norte Energia viabilizará a nova faculdade O Campus de Altamira da Universidade Federal do Pará (UFPA) terá turma única do curso de Graduação em Medicina. A oferta inicial de 30 vagas no município foi possibilitada mediante convênio da UFPA com a Norte Energia, empresa responsável pela construção e operação da Usina Belo Monte, por meio do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS Xingu). O convênio permitirá viabilizar a infraestrutura para a execução do processo seletivo especial ao curso ainda em 2013. O curso teve projeto político pedagógico elaborado pelo Instituto de Ciências da Saúde (ICS) da UFPA e será inteiramente financiado pelo Ministério da Educação (MEC). Dentre outros pontos de pauta, o processo de implantação do curso de Medicina no Campus de Altamira foi apreciado em ad referendum pelo reitor Carlos Maneschy e aprovado por unanimidade, mediante quebra de interstício, durante a primeira reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da UFPA, no ano de 2013, realizada na quinta-feira (24.01). De acordo com o relator do parecer de criação do curso, professor Tadeu Oliver Gonçalves, representando a pró-reitora de Ensino de Graduação, Marlene Freitas, o curso deverá atender toda a região da Transamazônica e Xingu próximas a Altamira, dando oportunidade aos egressos do curso para suprir as necessidades de profissionais da área de Saúde no Oeste do Pará. Prioritariamente, o curso será ofertado em turma única, devendo a possibilidade de ofertas posteriores ser discutida, futuramente, pela Instituição. O edital com as regras do concurso para ingresso no curso ainda não tem data definida para ser publicado.  
  • O juiz federal Arthur Pinheiro Chaves, da 9ª Vara da Seção Judiciária do Pará, especializada no julgamento de ações de natureza ambiental, criticou o Ministério Público Federal do Pará (MPF-PA) pelo excesso de ações judiciais contra Belo Monte, no rio Xingu. Na sentença de 42 laudas, assinada na última segunda-feira (21.01), o magistrado afirma que “a pulverização, dispersão, superposição e não racionalização do ajuizamento de medidas judiciais sucessivas possuem efeito contrário ao de proteção por todos desejado, estimulando-se, ademais, a perpetuação de conflito social na região”. O Ministério Público Federal do Pará havia solicitado declaração de nulidade da Licença Prévia emitida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que permitiu a realização do leilão da Usina Hidrelétrica Belo Monte, na região do Xingu (PA), no qual a Norte Energia foi a vencedora. O juiz federal Arthur Pinheiro Chaves apontou inconsistências nos argumentos apresentados contra a realização do empreendimento. Para maior compreensão de sua decisão, o magistrado reproduz trecho de voto proferido em julgamento de recurso pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, para mostrar que já existe precedente reconhecendo que são válidos e adequados os programas voltados à proteção dos direitos indígenas em relação à Usina Belo Monte. As condições em que o empreendimento será desenvolvido e implementado buscam de fato, segundo o magistrado, abranger os mais amplos aspectos da garantia à manutenção do modo de vida das populações atingidas pela construção da hidrelétrica. Leia a íntegra da decisão clicando aqui.
  • “Se Belo Monte é boa para o Brasil, ela também tem que ser boa para nossa região”. A frase é do novo presidente do Consórcio Belo Monte (CBM) e atual prefeito de Altamira, Domingos Juvenil. A entidade reúne os onze municípios da área de influência da construção do empreendimento. O nome de Domingos Juvenil foi escolhido durante a eleição que aconteceu na segunda-feira (21), na sede do consórcio, em Altamira. Todos os prefeitos dos municípios que compõem a entidade participaram do processo eleitoral. Durante três horas em reunião fechada, os prefeitos discutiram e apontaram o nome de Domingos Juvenil como sucessor do ex-prefeito de Uruará, Eraldo Pimenta, na presidência do CBM. Também foram definidos o vice-presidente (Erivando Amaral, prefeito de Vitória do Xingu) e o segundo vice-presidente (Everton Moreira, prefeito de Uruará). “É com união que nós conseguiremos a continuidade dos recursos para os municípios”, comentou Erivando. O segundo vice-presidente seguiu o mesmo discurso do prefeito de Vitória do Xingu. “Vamos trabalhar de uma forma coesa e com unidade para que os recursos sejam repassados de forma igual”, anunciou Everton Moreira. Juvenil, eleito em outubro do ano passado para assumir o Poder Executivo de Altamira, município-polo da região Transamazônica, disse levar em consideração a experiência do consórcio na fiscalização e cobrança de tudo que diz respeito ao projeto da Usina Hidrelétrica Belo Monte. “Não adianta ter um município rico e os demais pobres. Todos têm que ser desenvolvidos igualmente”, declarou o prefeito. Durante o discurso, o presidente do consórcio também citou as ações compensatórias para a região. “A Norte Energia e os construtores terão de cumprir o mais rápido possível e, para isso, contarão com o apoio dos 11 municípios”, afirmou Juvenil. Ele declarou que seu primeiro ato será traçar metas sobre o Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS Xingu).
  • Rebocador de 24 toneladas foi içado e levado de um lado a outro do rio pelo moderno Sistema de Transposição de Embarcações, instalado em PimentalO presidente da Norte Energia, Duilio Figueiredo, foi o convidado de honra para assistir à transposição simbólica que marcou o início das atividades do moderno Sistema de Transposição de Embarcações (STE), do sítio Pimental. A apresentação foi feita com o transporte de um rebocador de24 toneladas, levado de um lado ao outro do rio. O evento também contou com a presença de diretores, gerentes e trabalhadores da Norte Energia S/A e do Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM). “Ao respeitar os prazos, a Norte Energia demonstra o compromisso firmado com as autoridades, e principalmente, o respeito com as comunidades locais, que irão usufruir os benefícios dessa obra. É assim também com a educação, saneamento, infraestrutura e saúde para toda a região”, declarou Duilio Figueiredo. Ao contrário da construção de outras hidrelétricas, em que o rio foi totalmente interditado durante o período da obra e liberado somente após a conclusão de eclusas, Belo Monte inova com a entrega do STE sem que o Xingu esteja barrado . O prazo de 15 de janeiro de 2013, acordado com os órgãos de fiscalização e controle, para o funcionamento do equipamento, também foi respeitado. O mecanismo tem capacidade para transpor embarcações de até 50 toneladas, o que garante a navegabilidade no Xingu durante as obras e após o início de operação da Usina Hidrelétrica Belo Monte. O sistema vai içar as embarcações e realizar o transporte horizontal. Os piers de jusante e de montante do rio são interligados por uma pista de 700 metros, cujo trajeto será feito por uma carreta adquirida especialmente para o transporte das embarcações.
  • Da Agência Pará A Região de Integração do Xingu, composta por 11 municípios, receberá recursos estaduais em torno de R$ 90 milhões, este ano, para serem aplicados na reforma e instalação de equipamentos nas unidades públicas de saúde da região. O volume de recursos foi informado pela adjunta da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Heloísa Guimarães, nesta quarta-feira, 16. Entre as obras previstas está a ampliação do Hospital Regional da Transamazônica e a construção do Hospital do Mutirão, ambos em Altamira. As duas unidades deverão incorporar cerca de 200 novos leitos à rede pública de saúde da região. O Hospital Regional, que atualmente dispõe de 98 leitos, passará a oferecer mais 50 leitos de urgência e emergência e de alta e média complexidade. A previsão é que a ampliação seja iniciada ainda neste semestre. A unidade também receberá equipamentos de ressonância magnética e de hemodinâmica. Outros 140 leitos deverão ser incorporados com a construção do Hospital do Mutirão, que funcionará onde atualmente está instalada uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Os serviços do Instituto Médico Legal, que funcionam em um prédio anexo à unidade, deverão ser realocados para outro prédio, para que a construção do novo hospital tenha início. Através do acordo firmado ano passado entre o Governo do Estado e o consórcio Norte Energia S.A, considerando os impactos causados pela construção da Usina de Belo Monte, que atenderá 11 municípios da região (Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará, Gurupá e Vitória do Xingu), será possível a reforma de postos de saúde e aparelhamento de outras unidades. Entre as obras previstas para este ano também estão duas unidades de Saúde da Família no município de Porto de Moz e outra unidade em Uruará. O consórcio Norte Energia também financia a reforma e adequação do Hospital Municipal São Rafael, em Altamira. “São R$ 10 milhões em projetos através desse consórcio, sendo que 50% deles já foram executados. Em 2012, o Governo investiu R$ 70 milhões na região”, informou Heloisa Guimarães. A secretaria também comentou a denúncia feita pelo jornal Diário do Pará, nesta terça-feira, 15, sobre os supostos deslocamentos de pessoas da região do Xingu até a cidade de Teresina, no Piauí, em busca de exames e cirurgias em unidades públicas e particulares da cidade nordestina. Essas viagens, segundo a publicação, seriam manobradas por agentes de saúde e médicos, mediante quantias em dinheiro. Heloísa Guimarães informou que a coordenação estadual desconhece esse procedimento e destacou que a rede pública oferece uma ampla cobertura de serviços na região, desde a atenção básica até a média e alta complexidade. “Pedimos à população local que procure a regional de saúde e ajude a indicar quem são essas pessoas”, frisou.











© Desenvolvido por santafédigital. Uma empresa do grupo santafé.