en     pt
Não categorizada Notícias Vídeos
1º Encontro Intercomunitario de Belo Monte
Não categorizada, Notícias, Vídeos
Postado em 12.05.2016

A Norte Energia realizou o I Encontro Intercomunitário da Usina Hidrelétrica Belo Monte, no dia 27/02, no Barracão de Usos Múltiplos, no bairro Jatobá. A empresa apresentou as ações dos projetos que visam recompor modos de vida da população beneficiada com relocação assistida por Carta de Crédito e dos moradores dos novos bairros construídos pela Norte Energia na cidade. O Encontro é mais uma ação para contribuir para a integração das famílias atendidas, localizadas na área urbana e rural dos municípios de Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu. Assista ao vídeo:

 

  • As famílias que hoje moram em palafitas nos igarapés, na cidade de Altamira, no Pará, estão cada vez mais perto da concretização do sonho de viverem em um novo espaço, completamente urbanizado, com casas de alta qualidade. A construção dos novos bairros já começou, com total de 4.100 casas em cinco áreas no perímetro urbano da cidade. As moradias construídas pela Norte Energia adotam modelo construtivo industrializado, testado e aprovado em diversos outros projetos de urbanização, seguindo os melhores padrões de qualidade, de segurança dos materiais e das estruturas utilizadas. Além disso, as obras dessas residências seguem normas rígidas de controle de qualidade, primando tanto pelo conforto quanto pela facilidade de manutenção. Para demonstrar aos moradores o espaço da casa e a sua tipologia, a Norte Energia construiu três modelos com os três tipos de plantas oferecidas. As casas-modelo foram construídas com placas de concreto, montadas no próprio local dos novos bairros. As demais casas, a serem entregues aos moradores, serão feitas com placas de concreto industrializadas pela empresa fornecedora, garantindo toda a qualidade, durabilidade e resistência que o material comprovadamente oferece.As casas têm área construída de 63 m², contendo três quartos - um com suíte, dois banheiros, uma sala de TV, sala de jantar e uma cozinha integrada. A área total de cada terreno é de 300 m², garantindo conforto e espaço às famílias. Um diferencial é a adaptação na planta das casas em atenção a pessoas com deficiência. Nesses casos, as famílias poderão optar por planta que prevê banheiro adaptado, na suíte ou no banheiro social, onde o cômodo é mais amplo e está equipado com corrimãos e barras de locomoção para dar maior mobilidade e segurança ao morador.É com esse objetivo que as casas terão forro de laje; cobertura de telhas cerâmicas; louças sanitárias; torneiras e penduradores de toalha; pia e torneira na cozinha; e cerâmica em todo o piso. A infraestrutura dos bairros inclui energia elétrica; iluminação pública; água encanada; coleta de esgoto; ruas asfaltadas; e proximidade com áreas de lazer, postos de saúde, creches e escolas.
  • O presidente da Norte Energia, Duilio Diniz de Figueiredo, esteve na tarde desta quarta-feira (07.08), em Belém, com os integrantes da Comissão Especial de Acompanhamento das Obras da UHE Belo Monte, instalada pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa). O presidente estava acompanhado dos diretores de Construção, Antônio Kelson e Socioambiental, João dos Reis Pimentel. O encontro é resultado do convite da comissão presidida pelo deputado Martinho Carmona (PMDB) e composta pelos deputados José Megale (PSDB), Raimundo Santos (PEN), Airton Faleiro (PT), Eliel Faustino (PR) e Parsifal Pontes (PMDB). Na oportunidade, a diretoria da Norte Energia apresentou a parte institucional do empreendimento; as obras das condicionantes e as destinadas a promover o desenvolvimento regional e garantir os benefícios da construção de Belo Monte para a região do Xingu e da Transamazônica; e o  andamento de atividades nos canteiros de obras da UHE Belo Monte. “Sempre que pedimos informações, a Norte Energia tem sido rápida e cortez, sem jamais sonegar informações. Agradecemos a presença de todos e agora nos cabe mostrar à sociedade que a empresa além de séria está correspondendo às nossas expectativas”, disse o presidente da Comissão, deputado Martinho Carmona. O presidente Duílio agradeceu o convite da Assembleia e destacou que a Norte Energia está muita satisfeita em mais uma vez poder estar presente na Alepa.“Na nossa apresentação trouxemos todas as informações da obras e das condicionantes e estamos sempre abertos para atender a Comissão no que for necessário. Estamos à disposição em Brasília e Altamira”. Ações na região do Xingu Entre as ações apresentadas aos parlamentares está a aquisição de cinco áreas, dentro da malha urbana de Altamira para a construção dos Novos Bairros que receberão famílias que hoje vivem nos igarapés da cidade. O compromisso da Norte Energia é prover toda a infraestrutura de saneamento e equipamentos comunitários para o reassentamento dos moradores em 4.100 casas. As moradias terão 63 m² cada, em um lote de 300 m², sendo oferecida a opção de unidades equipadas para receber pessoas com deficiência. Destaca-se ainda, no primeiro semestre de 2013, o início das obras de saneamento em Altamira, bem como a construção dos aterros sanitários em Altamira e Vitória do Xingu. Na área de Educação, a Norte Energia contabiliza, atualmente, 27 escolas em construção ou fase de elaboração de projetos, afora as 40 escolas já entregues na região. Na saúde, a Norte Energia comemora a redução de 77% nos casos de malária no primeiro semestre de 2013 em comparação com o mesmo período de 2011, antes do início do Plano de Ação para o Controle da Malária (PACM), proposto pela Norte Energia aos governos municipais, estadual e Federal, em uma articulação para o combate da doença em seis municípios. Além do Plano, os investimentos em Saúde incluem 27 Unidades Básicas de Saúde construídas e equipadas pela empresa para atendimento médico e odontológico na região, a disponibilidade de 8 equipes de Saúde da Família e ainda obras de um Hospital com 103 leitos, sendo 10 leitos de UTI. Os deputados também puderam conhecer os avanços nas iniciativas de geração de renda, com projetos para atividade pesqueira, como a realização de cursos de mergulho e de orientação quanto ao uso de equipamentos de segurança no desempenho dessa atividade. Outro público a receber a atenção da Norte Energia é o de pessoas que migraram para a região de Belo Monte em busca de trabalho. Esses migrantes são recebidos na Casa de Acolhimento ao Migrante que conta com profissionais qualificados para orientar sobre programas de inserção no mercado de trabalho ou, para aqueles que assim preferirem, retornar às suas cidades de origem. Na área da Segurança Pública, a Norte Energia assinou um Termo de Cooperação com a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) envolvendo valores na ordem de 100 milhões de reais para obras, equipamentos e helicópteros para a atuação da Polícia Militar na região. A Norte Energia também enfatizou que aproximadamente 70% dos trabalhadores de origem do estado do Pará.  Ao final da reunião, o presidente Duilio convidou os parlamentares para conhecerem, na segunda quinzena de setembro, as obras da UHE Belo Monte. “Eles poderão conhecer fisicamente, o que viram hoje por meio de slides”, afirmou. Estiveram presentes, ainda, o presidente da Alepa, Márcio Miranda (DEM), além dos deputados Carlos Bordalo (PT), Bernadete Ten Caten (PT), Alfredo Costa (PT), Nélio Aguiar (DEM), Tetê Santos (PSDB), Tião Miranda (PTB) e Eduardo Costa (PTB).
  • Os pescadores de Altamira, Vitória do Xingu, Senador José Porfírio, Porto de Moz e Gurupá contarão, com uma estrutura adequada para o embarque e desembarque e armazenamento do pescado acompanhado de uma fábrica de gelo. Já em Altamira, será construído o Centro de Integração de Pesca Artesanal (Cipar), ao lado do futuro Mercado de Peixe, ambos parte de um projeto mais amplo que tem como principal meta a revitalização de toda a orla da cidade. Junto com os pontos de embarque e desembarque, estas cidades também receberão um salão comunitário com capacidade para 80 pessoas que será utilizado como sede dos profissionais que integram a colônia de pescadores, em cada município. Entre os dias 09 e 30 de setembro de 2013, técnicos e especialistas da Norte Energia, empresa responsável pela instalação e operação da Usina Hidrelétrica Belo Monte, visitarão as cidades de Vitória do Xingu, Senador José Porfírio, Porto de Moz e Gurupá para analisar a dimensão e amplitude de cada construção a partir da produção do pescado e quantidade de trabalhadores que vivem dessa atividade, em cada município. Estas iniciativas foram anunciadas na manhã da última segunda-feira, 05/06, durante reunião entre a Norte Energia, representantes do Governo Federal e pescadores das cinco cidades favorecidas pelo projeto. O encontro aconteceu em Altamira e provou que, mais uma vez, a Norte Energia cumpre com as obrigações assumidas junto à comunidade do entorno da obra. “A Norte Energia sempre esteve, e está - seja com pescadores, indígenas ou ribeirinhos - aberta ao diálogo”, destacou João Pimentel, diretor socioambiental da Norte Energia e representante da empresa na reunião.
  • A Unidade Sítio Pimental cumpre mais uma etapa importante em todo o processo da construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte: dois milhões de metros cúbicos de rocha foram escavados no leito do Rio Xingu. O trabalho, iniciado na primeira quinzena de fevereiro, foi totalmente concluído no final de julho. A escavação de rocha em Pimental, junto ao leito do rio, exigiu mais de mil toneladas de explosivos e o empenho de aproximadamente 750 trabalhadores. O engenheiro João Rocha, gerente de obras da Unidade Sítio Pimental, agradece o esforço de toda a equipe e ressalta que, além do trabalho ter sido executado com qualidade, todo o processo de escavação de rocha foi realizado com baixos índices de acidente de trabalho e dano ambiental. Com a conclusão do processo de escavação de rocha, será iniciada a fundação da estrutura de concreto armado, onde serão instalados o Vertedouro e Casa de Força Complementar. O vertedouro é uma das partes mais visíveis em uma hidrelétrica. Sua função é controlar o nível de água existente no reservatório. Já a Casa de Força abriga as turbinas hidráulicas e geradores elétricos. A água proveniente do reservatório, através de canais ou túneis, chega até a Casa de Força, onde a pressão da água, ou potência hidráulica, é transformada em potência mecânica, movendo as turbinas, para depois ser transformada em potência elétrica, nos geradores, e ser distribuída através de cabos ou barras até a subestação.
  • A Norte Energia S.A., empresa responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica Belo Monte, mais uma vez se dirige ao Jornal Folha de São Paulo, demonstrando sua total discordância da forma tendenciosa que este veículo está vinculando a empresa e o empreendimento a todas as mazelas e péssimas condições de vida e de trabalho da população da região do empreendimento. Quando este veículo insiste, após pedido de reparação da empresa no dia de ontem (02/08) e carta no Painel do Leitor no dia de hoje (03/08), na permanência da galeria de imagens intitulada “Os impactos de Belo Monte”, na editoria “fotosfera” no site oficial do jornal na internet, deixa clara a sua intenção de atrelar a chegada do empreendimento na região inclusive a ações ilegais como o trabalho infantil, trabalho sem equipamentos de proteção individual e a atividades ilícitas como a exploração sexual. As fotos, acompanhadas de legendas tendenciosas e agressivas, procuram vincular o empreendimento a atividades criminosas. Cabe destacar que o fotógrafo Lalo de Almeida teve autorização da Norte Energia para conhecer as obras de Belo Monte e ao invés de um trabalho isento, o que comprovamos foi uma declarada e gravíssima campanha fotográfica contra o projeto. Temos a obrigação legal e ética de esclarecer ao leitor de que o empreendimento não pode ser responsabilizado por práticas condenáveis e que lamentavelmente ocorrem na região. Dados de suma importância do trabalho da Norte Energia para combater essas mazelas não foram levados em consideração no momento da realização do trabalho fotográfico. A primeira foto da galeria não tem qualquer relação com a Usina Hidrelétrica Belo Monte. A casa estava localizada no igarapé Ambé, em Altamira, e foi atingida pela enxurrada de 2009, que castigou metade da cidade. A família que residia nessa casa abandonou o local. Fotos mostram a sujeira e a forma insalubre em que vivem as famílias nas palafitas. A Norte Energia fez a aquisição de 5 áreas, dentro da malha urbana de Altamira para a construção dos Novos Bairros, com toda a infraestrutura de saneamento e equipamentos comunitários para o reassentamento dos moradores dos Igarapés de Altamira. As 4.100 casas dos Novos Bairros terão 63 m² cada, em um lote de 300m². As novas moradias oferecem conforto e segurança, uma vida diferente da enfrentada nas palafitas. Destaca-se ainda, no primeiro semestre de 2013, o início das obras de saneamento em Altamira, bem como a construção dos aterros sanitários em Altamira e Vitória do Xingu. A Norte Energia incentiva a geração de renda, como a atividade pesqueira e mantém um trabalho desde 2012 com os pescadores locais, sendo ministrados cursos de mergulho e orientações quanto ao uso de equipamentos. Ações compensatórias previstas no Projeto Básico Ambiental (PBA) garantirão a continuidade dessa atividade. O mesmo se pode dizer quanto aos oleiros. Com o apoio da empresa, eles criaram a primeira cooperativa da categoria e hoje estão organizados e capacitados quanto ao controle de qualidade e comercialização do produto. Como a preservação das ações dos pescadores e dos oleiros, nenhum indígena será afetado por Belo Monte. Em uma das fotos, aparecem índios da etnia Munduruku, que são de Itupiranga, município distante 400 km de Altamira e que apresentaram demandas que nada tinham haver com a usina, mas ainda assim, a empresa se manteve aberta ao diálogo, garantindo inclusive alimentação e transporte para os indígenas. A atenção ao migrante também é uma iniciativa importante da Norte Energia. Pessoas que migraram para a região de Belo Monte em busca de trabalho são recebidas na Casa de Acolhimento ao migrante que conta com profissionais qualificados para este trabalho. As pessoas que por ventura não conseguem trabalho são atendidas e podem ser encaminhadas para programas de inserção no mercado de trabalho ou recebem apoio para retornar às suas cidades. A travessia da balsa do rio Xingu serviu como cenário para registro. O que não se falou é que com o início das obras de Belo Monte, a realidade da comunidade localizada perto dessa balsa passou a ser bem diferente. A população ganhou água encanada e se prepara para receber as obras de saneamento. Os dois municípios, divididos pela balsa, Anapu e Vitória do Xingu, tiveram escolas reformadas e ampliadas e unidades de saúde construídas. Em relação aos trabalhadores dos canteiros da usina, eles estão com todos os direitos da legislação trabalhista brasileira bem como contam com os melhores equipamentos de segurança de trabalho, alojamentos e usufruem de uma estrutura de lazer, com salas de ginástica, bibliotecas, lan houses, salas de TV e cinema. Assim sendo, são oferecidos aos trabalhadores várias opções de diversão, ao contrário do relatado nas fotos, que dão a entender que o único divertimento são os bares da cidade. O trabalho de combate à prostituição e à exploração de menores realizado pelos órgãos do governo federal recebem total apoio da Norte Energia. A empresa atua em parceria com as instituições de resgate social de crianças e adolescentes em situação de risco, ou seja, vincular a imagem da empresa à práticas ilegais é no mínimo uma grave injustiça. O combate à violência é outra iniciativa essencial da Norte Energia, que já investiu na aquisição de viaturas, helicóptero e equipamentos para a atividade policial. Possui parceria importante com a Secretaria de Segurança do Governo Estadual, guarda municipal e departamento municipal de trânsito. Mostrar aos leitores fotos de situações que vem de muitas décadas ou ângulos duvidosos deixa claro a intenção do jornal em responsabilizar o empreendimento que se instalou na região há pouco mais de dois anos por mais de século de existência da cidade de Altamira e de mais de 40 anos da abertura da Transamazônica na região. Imagens que comprovem as melhorias no dia a dia dos municípios podem ser vistas a qualquer momento e merecem os registros com o mesmo destaque que jornal esta dando para atacar o empreendimento.











© Desenvolvido por santafédigital. Uma empresa do grupo santafé.