en     pt
Desenvolvimento Social Notícias
Altamira recebe novo Centro Diagnóstico
Desenvolvimento Social, Notícias
Postado em 31.05.2016

O município de Altamira, na Área de Influência Direta da Usina Hidrelétrica Belo Monte, recebeu, no dia 19/05, um novo Centro de Apoio em Diagnóstico, reformado e ampliado com recursos da Norte Energia. Na cerimônia de reinauguração, moradores, profissionais da saúde e autoridades locais comemoraram a entrega da obra e visitaram as novas instalações do prédio.

O Centro Diagnóstico foi ampliado e reformado com recursos da Norte Energia (Foto: Divulgação/PDRSX)

O Centro Diagnóstico foi ampliado e reformado com recursos da Norte Energia (Foto: Divulgação/PDRSX)

Com uma área total de 543 m², a nova unidade de saúde passará a ser referência em realização de exames e atendimento preventivo na região. A reforma do Centro Diagnóstico Nazira Mansour Abucater foi um projeto financiado pelo Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu – PDRSX, com recursos da Norte Energia.

A reforma e readequação do prédio vai possibilitar a oferta de um maior número de exames, com mais agilidade e conforto, fortalecendo as ações de diagnóstico preventivo, com enfoque na prevenção do câncer do colo uterino e câncer de mama. No novo espaço serão ofertados exames como teste do pezinho, fluxograma/PCCU, raio X, ultrassonografia, urianálise, microbiologia, bioquímica e tratamento de tuberculose.

Com um investimento de R$ 714.460, a obra foi proposta pela prefeitura do município, através de seus representantes na Câmara Técnica de Saúde do Comitê Gestor do PDRS do Xingu. Somado a essa obra, a Norte Energia já investiu, através do PDRS do Xingu, mais de R$ 37,9 milhões em 62 projetos de Saúde nas áreas de influência direta e Indireta de Belo Monte.

  • A Norte Energia atingiu a marca, em julho deste ano, de 148.249 plantas da região do Xingu já resgatadas, com 46% delas devolvidas ao meio ambiente. Este é um dos resultados obtidos pela empresa que, atenta à importância de preservar espécies típicas da região amazônica e muitas vezes ameaçadas de extinção, desenvolve atividade constante de acompanhamento e proteção da flora na área de influência da Usina Belo Monte. As atividades são realizadas desde junho de 2011 por profissionais no Centro de Estudos Ambientais da Norte Energia. Além de plantas adultas, o viveiro mantido pela empresa conta com 2.790.000 unidades que compõem um banco de sementes para reprodução e estudos das características da vegetação local. Este levantamento permite conhecer melhor o modo de vida das espécies e, assim, obter o melhor resultado em iniciativas de preservação. A partir deste trabalho, a Norte Energia identificou, em 2012, durante monitoramento preventivo para as primeiras escavações do canal de derivação da usina, 11 indivíduos adultos de pau-cravo, espécie típica da Amazônia que corre risco de extinção. As árvores foram avaliadas, identificadas e removidas para transplante em áreas de proteção. Das 11 espécies transplantadas, 10 sobreviveram e estão em fase de frutificação, que antecede a etapa de coleta das sementes para reprodução da espécie, no Centro de Estudos Ambientais da Norte Energia. A continuidade do projeto permitiu que outros 30 exemplares de pau-cravo fossem encontrados. Catalogados, eles agora estão sendo acompanhados em áreas adquiridas pela empresa. O superintendente do Meio Físico e Biótico da Norte Energia, Gilberto Veronese, considera o programa um forte aliado na recuperação e preservação ambiental do Xingu e destaca a importância do cuidado com essas espécies para as gerações futuras. “Esse trabalho permitiu encontrar uma espécie que se acreditava estar extinta há anos, isso para a sociedade acadêmica e para o meio ambiente da região, representa um avanço importantíssimo”, afirmou Varonese. Após a identificação das plantas, a Norte Energia determinou aos seus colaboradores que todas as espécies encontradas nos canteiros de obras e adjacências sejam cadastradas e sua área imediatamente informada para o grupo de acompanhamento do Plano de Ação Nacional de Conservação das Espécies de Flora Ameaçadas de Extinção do Baixo e Alto Xingu (PAN). Esse Plano foi elaborado com participação da Norte Energia, reforçando a atuação de várias entidades brasileiras que atuam na conservação da flora na região, entre elas o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), que mantém parceria com a Norte Energia nos projetos de salvamento da flora e da implantação do banco de germoplasma. Pau-cravo - Árvore típica da floresta amazônica, o Pau Cravo também é conhecido como cravo-do-maranhão, cravo-do-pará, cravo-do-mato e canela-cravo. Durante o período colonial, foi considerada uma concorrente à altura do cravo-da-índia e, por isso, muito explorada. De porte médio, alcança até 20 metros de altura e guarda aroma semelhante ao de rosas no caule. O tronco é amarelado e muito resistente, motivos pelos quais a espécie foi bastante usada na construção de casas e barcos.
  • As famílias que hoje moram em palafitas nos igarapés, na cidade de Altamira, no Pará, estão cada vez mais perto da concretização do sonho de viverem em um novo espaço, completamente urbanizado, com casas de alta qualidade. A construção dos novos bairros já começou, com total de 4.100 casas em cinco áreas no perímetro urbano da cidade. As moradias construídas pela Norte Energia adotam modelo construtivo industrializado, testado e aprovado em diversos outros projetos de urbanização, seguindo os melhores padrões de qualidade, de segurança dos materiais e das estruturas utilizadas. Além disso, as obras dessas residências seguem normas rígidas de controle de qualidade, primando tanto pelo conforto quanto pela facilidade de manutenção. Para demonstrar aos moradores o espaço da casa e a sua tipologia, a Norte Energia construiu três modelos com os três tipos de plantas oferecidas. As casas-modelo foram construídas com placas de concreto, montadas no próprio local dos novos bairros. As demais casas, a serem entregues aos moradores, serão feitas com placas de concreto industrializadas pela empresa fornecedora, garantindo toda a qualidade, durabilidade e resistência que o material comprovadamente oferece.As casas têm área construída de 63 m², contendo três quartos - um com suíte, dois banheiros, uma sala de TV, sala de jantar e uma cozinha integrada. A área total de cada terreno é de 300 m², garantindo conforto e espaço às famílias. Um diferencial é a adaptação na planta das casas em atenção a pessoas com deficiência. Nesses casos, as famílias poderão optar por planta que prevê banheiro adaptado, na suíte ou no banheiro social, onde o cômodo é mais amplo e está equipado com corrimãos e barras de locomoção para dar maior mobilidade e segurança ao morador.É com esse objetivo que as casas terão forro de laje; cobertura de telhas cerâmicas; louças sanitárias; torneiras e penduradores de toalha; pia e torneira na cozinha; e cerâmica em todo o piso. A infraestrutura dos bairros inclui energia elétrica; iluminação pública; água encanada; coleta de esgoto; ruas asfaltadas; e proximidade com áreas de lazer, postos de saúde, creches e escolas.
  • O presidente da Norte Energia, Duilio Diniz de Figueiredo, esteve na tarde desta quarta-feira (07.08), em Belém, com os integrantes da Comissão Especial de Acompanhamento das Obras da UHE Belo Monte, instalada pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa). O presidente estava acompanhado dos diretores de Construção, Antônio Kelson e Socioambiental, João dos Reis Pimentel. O encontro é resultado do convite da comissão presidida pelo deputado Martinho Carmona (PMDB) e composta pelos deputados José Megale (PSDB), Raimundo Santos (PEN), Airton Faleiro (PT), Eliel Faustino (PR) e Parsifal Pontes (PMDB). Na oportunidade, a diretoria da Norte Energia apresentou a parte institucional do empreendimento; as obras das condicionantes e as destinadas a promover o desenvolvimento regional e garantir os benefícios da construção de Belo Monte para a região do Xingu e da Transamazônica; e o  andamento de atividades nos canteiros de obras da UHE Belo Monte. “Sempre que pedimos informações, a Norte Energia tem sido rápida e cortez, sem jamais sonegar informações. Agradecemos a presença de todos e agora nos cabe mostrar à sociedade que a empresa além de séria está correspondendo às nossas expectativas”, disse o presidente da Comissão, deputado Martinho Carmona. O presidente Duílio agradeceu o convite da Assembleia e destacou que a Norte Energia está muita satisfeita em mais uma vez poder estar presente na Alepa.“Na nossa apresentação trouxemos todas as informações da obras e das condicionantes e estamos sempre abertos para atender a Comissão no que for necessário. Estamos à disposição em Brasília e Altamira”. Ações na região do Xingu Entre as ações apresentadas aos parlamentares está a aquisição de cinco áreas, dentro da malha urbana de Altamira para a construção dos Novos Bairros que receberão famílias que hoje vivem nos igarapés da cidade. O compromisso da Norte Energia é prover toda a infraestrutura de saneamento e equipamentos comunitários para o reassentamento dos moradores em 4.100 casas. As moradias terão 63 m² cada, em um lote de 300 m², sendo oferecida a opção de unidades equipadas para receber pessoas com deficiência. Destaca-se ainda, no primeiro semestre de 2013, o início das obras de saneamento em Altamira, bem como a construção dos aterros sanitários em Altamira e Vitória do Xingu. Na área de Educação, a Norte Energia contabiliza, atualmente, 27 escolas em construção ou fase de elaboração de projetos, afora as 40 escolas já entregues na região. Na saúde, a Norte Energia comemora a redução de 77% nos casos de malária no primeiro semestre de 2013 em comparação com o mesmo período de 2011, antes do início do Plano de Ação para o Controle da Malária (PACM), proposto pela Norte Energia aos governos municipais, estadual e Federal, em uma articulação para o combate da doença em seis municípios. Além do Plano, os investimentos em Saúde incluem 27 Unidades Básicas de Saúde construídas e equipadas pela empresa para atendimento médico e odontológico na região, a disponibilidade de 8 equipes de Saúde da Família e ainda obras de um Hospital com 103 leitos, sendo 10 leitos de UTI. Os deputados também puderam conhecer os avanços nas iniciativas de geração de renda, com projetos para atividade pesqueira, como a realização de cursos de mergulho e de orientação quanto ao uso de equipamentos de segurança no desempenho dessa atividade. Outro público a receber a atenção da Norte Energia é o de pessoas que migraram para a região de Belo Monte em busca de trabalho. Esses migrantes são recebidos na Casa de Acolhimento ao Migrante que conta com profissionais qualificados para orientar sobre programas de inserção no mercado de trabalho ou, para aqueles que assim preferirem, retornar às suas cidades de origem. Na área da Segurança Pública, a Norte Energia assinou um Termo de Cooperação com a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) envolvendo valores na ordem de 100 milhões de reais para obras, equipamentos e helicópteros para a atuação da Polícia Militar na região. A Norte Energia também enfatizou que aproximadamente 70% dos trabalhadores de origem do estado do Pará.  Ao final da reunião, o presidente Duilio convidou os parlamentares para conhecerem, na segunda quinzena de setembro, as obras da UHE Belo Monte. “Eles poderão conhecer fisicamente, o que viram hoje por meio de slides”, afirmou. Estiveram presentes, ainda, o presidente da Alepa, Márcio Miranda (DEM), além dos deputados Carlos Bordalo (PT), Bernadete Ten Caten (PT), Alfredo Costa (PT), Nélio Aguiar (DEM), Tetê Santos (PSDB), Tião Miranda (PTB) e Eduardo Costa (PTB).
  • Os pescadores de Altamira, Vitória do Xingu, Senador José Porfírio, Porto de Moz e Gurupá contarão, com uma estrutura adequada para o embarque e desembarque e armazenamento do pescado acompanhado de uma fábrica de gelo. Já em Altamira, será construído o Centro de Integração de Pesca Artesanal (Cipar), ao lado do futuro Mercado de Peixe, ambos parte de um projeto mais amplo que tem como principal meta a revitalização de toda a orla da cidade. Junto com os pontos de embarque e desembarque, estas cidades também receberão um salão comunitário com capacidade para 80 pessoas que será utilizado como sede dos profissionais que integram a colônia de pescadores, em cada município. Entre os dias 09 e 30 de setembro de 2013, técnicos e especialistas da Norte Energia, empresa responsável pela instalação e operação da Usina Hidrelétrica Belo Monte, visitarão as cidades de Vitória do Xingu, Senador José Porfírio, Porto de Moz e Gurupá para analisar a dimensão e amplitude de cada construção a partir da produção do pescado e quantidade de trabalhadores que vivem dessa atividade, em cada município. Estas iniciativas foram anunciadas na manhã da última segunda-feira, 05/06, durante reunião entre a Norte Energia, representantes do Governo Federal e pescadores das cinco cidades favorecidas pelo projeto. O encontro aconteceu em Altamira e provou que, mais uma vez, a Norte Energia cumpre com as obrigações assumidas junto à comunidade do entorno da obra. “A Norte Energia sempre esteve, e está - seja com pescadores, indígenas ou ribeirinhos - aberta ao diálogo”, destacou João Pimentel, diretor socioambiental da Norte Energia e representante da empresa na reunião.
  • A Unidade Sítio Pimental cumpre mais uma etapa importante em todo o processo da construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte: dois milhões de metros cúbicos de rocha foram escavados no leito do Rio Xingu. O trabalho, iniciado na primeira quinzena de fevereiro, foi totalmente concluído no final de julho. A escavação de rocha em Pimental, junto ao leito do rio, exigiu mais de mil toneladas de explosivos e o empenho de aproximadamente 750 trabalhadores. O engenheiro João Rocha, gerente de obras da Unidade Sítio Pimental, agradece o esforço de toda a equipe e ressalta que, além do trabalho ter sido executado com qualidade, todo o processo de escavação de rocha foi realizado com baixos índices de acidente de trabalho e dano ambiental. Com a conclusão do processo de escavação de rocha, será iniciada a fundação da estrutura de concreto armado, onde serão instalados o Vertedouro e Casa de Força Complementar. O vertedouro é uma das partes mais visíveis em uma hidrelétrica. Sua função é controlar o nível de água existente no reservatório. Já a Casa de Força abriga as turbinas hidráulicas e geradores elétricos. A água proveniente do reservatório, através de canais ou túneis, chega até a Casa de Força, onde a pressão da água, ou potência hidráulica, é transformada em potência mecânica, movendo as turbinas, para depois ser transformada em potência elétrica, nos geradores, e ser distribuída através de cabos ou barras até a subestação.











© Desenvolvido por santafédigital. Uma empresa do grupo santafé.